''Fui indenizado por Deus'', diz vendedor

Cornélio de Paiva Santos, de 36 anos, viveu um dia de herói, ontem, em Sorocaba. Na noite de segunda-feira ele removeu mais de um metro de escombros e lama para salvar a filha Giovana, de 14 anos, e sua amiga Helena, de 21, atingidas pelo desabamento parcial da casa da família, no Jardim São Carlos, bairro de classe média da cidade. As duas estavam no quarto, por volta das 22h30, quando um barranco deslizou sobre a casa, em fase final de obras.

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

12 Janeiro 2011 | 00h00

Santos, que é vendedor, estava na cozinha ajudando a mulher, Elaine, a preparar o jantar quando ouviu o estrondo e, em seguida, os gritos de Helena. "Ela estava com as pernas presas sob blocos de concreto e eu a retirei, mas não vi minha filha." A amiga disse que a garota estava soterrada. O vendedor começou a cavar, quando ouviu a voz da menina. "Eu me guiei pelo som e logo achei o braço, mas só sosseguei quando descobri a cabeça e senti que ela respirava. "Filha, estou aqui", disse, e ela respondeu", lembrou Cornélio. Giovana engoliu lama, mas sofreu apenas escoriações, assim como a amiga.

A casa foi vistoriada ontem pela Defesa Civil. O deslizamento foi causado pelo acúmulo de água em uma área terraplenada para a construção do campo de futebol de um clube recreativo. O clube vai pagar pelos estragos. Cornélio não quer indenização. "Já fui indenizado por Deus ter poupado minha filha."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.