Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Frota poluidora dribla inspeção em SP

Balanço da Prefeitura mostra diminuição em 2011 de motos, ônibus e caminhões que passaram pela inspeção veicular na cidade

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

12 de setembro de 2011 | 00h00

Os veículos que mais poluem a atmosfera foram justamente os que menos realizaram a inspeção veicular ambiental no primeiro semestre. Em relação ao mesmo período de 2010, aumentou a quantidade de carros que passou pelo processo, mas diminuiu a de motos, ônibus e caminhões.

O balanço semestral da Secretaria do Verde e Meio Ambiente mostra que 875,4 mil carros passaram pela inspeção veicular - alta de 7,3%. Esse aumento é maior até mesmo do que o crescimento da frota de automóveis nesse período, que foi de 2,38% de junho de 2010 a junho de 2011.  

  Veja também:

linkCET mantém 193 radares para flagrar os infratores na cidade

 especial Debate: A legislação municipal está irregular?

Os caminhões foram os que mais deixaram de realizar a inspeção. Foram 8,5 mil que passaram pelo processo neste semestre, quantia 32% menor que a do ano passado.

Embora menor, chama a atenção a redução no número de motos que não compareceu aos postos. Isso porque os veículos em duas rodas são considerados os grandes vilões da poluição (analisadas isoladamente e não no conjunto da frota). Foram 84,5 mil motos que passaram pelo processo entre janeiro e junho deste ano, ante 90,6 mil do mesmo período de 2010 (queda de 6,6%).

"A maioria das motos não tem catalisador, então elas provocam dano maior para o meio ambiente", disse o ambientalista e consultor de mobilidade sustentável Lincoln Paiva. Ele crê que a situação irregular de muitas motos agrava o problema. "Uma das hipóteses para essa queda no comparecimento é que muitas motos já estão na ilegalidade, então os donos não veem motivo para fazer a inspeção."

Também houve queda na quantidade de ônibus que realizou a inspeção - passou de 8,9 mil para 7,9 mil. A Prefeitura diz que essa redução não diz respeito à frota que presta serviço de transporte público.

"A São Paulo Transporte (SPTrans) informa que todos os ônibus da capital têm que realizar anualmente a inspeção veicular da Controlar. A frota de ônibus passa ainda por vistorias amostrais para verificar as condições de operação e manutenção e emissão de fumaça", afirmou a empresa, que ressaltou que veículos que não estão de acordo com as normas são lacrados e retirados de circulação.

Baixa adesão. Embora o número de multas por falta de inspeção seja expressivo (141 mil), ele ainda não refletiria o total de carros, motos, caminhões e ônibus que não passaram pelo processo. Cerca de 800 mil veículos deixaram de fazer a inspeção apenas no primeiro semestre deste ano, segundo os dados do balanço da Secretaria do Verde e Meio Ambiente. Há ainda os veículos que não realizaram o processo nos outros anos.

Os dados da secretaria mostram também que os veículos que passaram pela inspeção tiveram menos dificuldades para serem aprovados em 2011. De fato, o índice de reprovação caiu no primeiro semestre deste ano em todos os tipos de veículos analisados - carros, motos, ônibus e caminhões. A reprovação dos automóveis, por exemplo, caiu de 14,2% para 5,9%.

A Secretaria acredita que essa mudança aconteceu porque os veículos estavam mais preparados para enfrentar a inspeção veicular. Isso porque já haviam sido ajustados mecanicamente para serem aprovados no processo dos anos anteriores, quando necessário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.