Frota nova poderia incentivar migração

É preciso dar um salto qualitativo no sistema de ônibus de São Paulo. Isso porque as pessoas que têm carros não vão deixá-los e migrar para os coletivos enquanto eles não oferecerem certos confortos. Os motoristas paulistanos que ainda se recusam a migrar para os ônibus sempre fundamentam o seu argumento, e lhes dou razão nesse sentido, citando como exemplo os ônibus de países da Europa, com limpeza e ar-condicionado. A frota precisa passar por um processo de renovação para tirar esses ônibus de mais idade, com ergonomia inadequada e com pisos com degraus.

ANÁLISE: Horácio Augusto Figueira, consultor de transportes, O Estado de S.Paulo

26 Fevereiro 2014 | 02h09

A questão da transmissão automática também é importante para diminuir frenagens e acelerações bruscas e incorporar tecnologias que monitorem o comportamento do motorista. Não basta só melhorar a velocidade dos ônibus nas faixas exclusivas. Os ônibus precisam deixar de ser antigos e devem se tornar atraentes para todos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.