Frio causa nova morte no PR; em SP, temperatura deve subir

No Paraná, termômentros registram temperaturas negativas da madrugada; em SP, mínimas sobem até 14º C

04 Junho 2009 | 14h58

No dia mais frio em Curitiba neste ano, quando os termômetros do Instituto Tecnológico Simepar, instalado no Jardim das Américas, marcaram a temperatura mínima de 0 grau, o morador de rua João Maria Fortunato Alves, de 47 anos, foi encontrado morto por hipotermia, por volta das 5h30, por um guarda municipal, no Passeio Público, no centro da cidade. Esta é a segunda morte em consequência do frio este ano no Paraná.

 

Segunda-feira, Lorival Moreira Pinto, de 34 anos, havia morrido em Apucarana, no norte do Estado. O frio da manhã facilitou a formação de geadas em quase todo o Paraná, excluindo-se apenas parte do oeste e do noroeste, de onde a massa de ar polar já estava se afastando. A menor temperatura no Estado foi verificada em General Carneiro, na região sul, com 5,3 graus centígrados negativos.

 

Já a capital paulista teve, pela terceira vez consecutiva, a madrugada mais fria do ano, de acordo com a estação meteorológica de Parelheiros, na zona sul. Às 4 horas desta quinta-feira, 4, o termômetro instalado no extremo sul da cidade marcava 2,3ºC. Na quarta-feira, 3, a mínima registrada nesta mesma estação foi de 3,4ºC às 4h20; na terça-feira, 1, chegou a 4ºC.

 

Mais uma vez as menores marcas foram registradas nas regiões norte e noroeste da cidade. Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), as mínimas registradas até as 3h40 foram de 5,3ºC em Perus; 6,3ºC em Pirituba. No Ribeirão dos Meninos (limite entre a zona sul da capital e São Caetano do Sul) a mínima foi de 6,8ºC.

 

A previsão para o fim de semana é de temperaturas um pouco menos baixas, de acordo com o Climatempo. As mínimas previstas para sexta, sábado e domingo são de 10, 11 e 14 graus, respectivamente.

 

 

(com Evandro Fadel)

Mais conteúdo sobre:
frio inverno madrugada

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.