Frentista morre após ser baleado por menor durante assalto

Ladrões roubaram caixa eletrônico e atiraram contra o frentista, que morreu horas depois em Casa Branca

Brás Henrique, de O Estado de S. Paulo,

13 de outubro de 2008 | 15h24

O corpo do frentista Lorivaldo Juarez Andreave, de 40 anos, foi enterrado no início da tarde desta segunda-feira, 13, em Casa Branca, na região de Ribeirão Preto. Ele morreu no final da tarde de domingo, horas depois de ser atingido por um tiro na cabeça enquanto trabalhava. Três adultos e um adolescente foram presos pouco depois do crime. O disparo foi feito pelo menor L.N.S., de 17 anos, que está detido, separado, em uma cela da Cadeia Pública do município, aguardando uma vaga de internação em unidades da Fundação Casa. Os três adultos vão responder por latrocínio. Os quatro assaltantes renderam um frentista, por volta de 5h50 de domingo, e foram até o caixa do Auto-Posto Strazza, onde estava Andreave. O adolescente atirou contra a cabeça de Andreave, que foi socorrido na cidade e depois levado para São João da Boa Vista, onde morreu. Com o auxílio das câmeras do sistema de segurança do posto, a polícia identificou os assaltantes e prendeu a quadrilha três horas depois. Segundo o delegado de Casa Branca, Ademir Delfino, Andreave não teria reagido ao assalto. A quadrilha levou cerca de R$ 400 e o dinheiro não foi recuperado. Delfino informou que apenas o adolescente confirmou participação no crime em depoimento. Os três adultos - Michael Jonas dos Santos, de 18 anos, Lucas Paulo de Morais, de 18, e Alfredo Jamil Levy Télio, de 20 - vão responder por latrocínio, que prevê pena entre 20 e 30 anos de prisão. Télio ainda responderá por tráfico de entorpecentes, já que porções de cocaína e crack foram aprendidas em sua casa. O revólver calibre 32, usado no assalto, foi apreendido.

Tudo o que sabemos sobre:
assassinatofrentista morto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.