Frentista é morto após discussão sobre troco no Mandaqui (SP)

Criminosos teriam ficado irritados pois funcionário se negou a trocar R$ 20 em moedas por notas de dinheiro

Daniela do Canto, do estadao.com.br,

10 Novembro 2009 | 07h43

O frentista Jeová de Oliveira, de 27 anos, foi morto a tiros na noite desta segunda-feira, 9, enquanto trabalhava em um posto de gasolina na região do Mandaqui, zona norte de São Paulo. Minutos antes de ser assassinado, Oliveira havia separado uma briga entre um colega de trabalho, também frentista, e dois criminosos, entre eles o autor dos disparos. A discussão teria sido motivada porque o frentista não trocou R$ 20 em moedas por notas para os criminosos.

  

Segundo testemunhas, a dupla chegou ao posto, na Rua Conselheiro Moreira de Barros, por volta das 19 horas em uma moto Honda Falcon preta, com um saco de moedas lacrado. Eles pediram para o frentista de 21 anos, que pediu para não ser identificado, trocar os R$ 20 em moedas por notas de dinheiro. O funcionário do posto afirmou que já havia guardado o dinheiro no cofre e por isso não poderia efetuar a troca.

 

Os bandidos ficaram irritados e iniciaram uma discussão com o frentista. Oliveira separou a briga que envolvia o colega. Os dois criminosos foram embora do posto e prometeram que voltariam às 22 horas, horário de fechamento do estabelecimento. Assim que a dupla deixou o posto, os funcionários acionaram a Polícia Militar, que encaminhou viaturas ao local. Os policiais então prometeram voltar às 22 horas.

 

Assim que a PM foi embora, os dois bandidos voltaram ao posto em uma moto diferente, uma Honda Falcon azul. Um deles estava armado com um revólver calibre 38 e efetuou entre quatro e seis disparos. Clientes e funcionários se jogaram no chão. O frentista que havia discutido com a dupla conseguiu se proteger no posto, mas Oliveira, que estava perto do balcão do caixa, foi atingido por dois tiros, um na nuca e um no abdome. Levado ao Pronto-Socorro da Vila Nova Cachoeirinha, ele não resistiu aos ferimentos. Oliveira era frentista há três anos e tinha uma filha de 6 meses.

 

Segundo funcionários, os dois criminosos são clientes do posto. Conforme as descrições, um deles tem cerca de 20 anos, é loiro, tem cabelos encaracolados e olhos azuis. O segundo tem aproximadamente 18 anos, cabelos e olhos castanho-escuros. Até o final da madrugada desta terça-feira, 10, nenhum dos dois havia sido localizado. O caso foi registrado como homicídio simples no 13º Distrito Policial (Casa Verde).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.