Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Chuvas causam ao menos 31 mortes, deslizamentos e alagamentos na Grande SP e interior

Oito crianças estão entre as vítimas. Mais de 5.548 famílias estão desabrigadas ou desalojadas em municípios como Franco da Rocha e Francisco Morato

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2022 | 13h04
Atualizado 04 de fevereiro de 2022 | 07h40

SÃO PAULO - Ao menos 31 pessoas morreram em decorrência das intensas chuvas que atingiram a região metropolitana e o interior de São Paulo desde a última sexta-feira, 28. Oito crianças estão entre as vítimas. A última atualização foi divulgada na noite de quinta-feira, 3, pela Defesa Civil do Estado de São Paulo. Na madrugada de quinta-feira, 3, o Corpo de Bombeiros encontrou mais duas vítimas fatais em Franco da Rocha. Durante o dia, outros dois corpos foram localizados.

Municípios também registraram o transbordamento de rios, alagamentos, deslizamentos e interdições de rodovias, ruas e avenidas após chuvas intensas atingirem a região. Cerca de 5.548 famílias estão desabrigadas ou desalojadas. Ainda há desaparecidos. Segundo o governo estadual, 39 municípios foram afetados.

Ainda de acordo com a Defesa Civil, três pessoas permanecem desaparecidas. Com isso, o número de mortes deve aumentar. Na tarde de quinta-feira, quando estava em Franco da Rocha, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), havia destacartado a possibilidade de encontrar os desaparecidos com vida. "Temos 13 mortes contabilizadas aqui e cinco pessoas desaparecidas há mais de 72 horas. As chances de sobrevida são baixíssimas", admitiu Doria. Ainda na noite de quinta-feira, dois corpos foram encontrados. No momento são registradas 15 mortes e três pessoas permanecem desaparecidas em Franco da Rocha.

Veja onde aconteceram as mortes no Estado de São Paulo

  • Itapevi: 1 morte
  • Arujá: 1 morte
  • Francisco Morato: 4 mortes
  • Embu das Artes: 3 mortes
  • Franco da Rocha: 15 mortes
  • Várzea Paulista: 5 mortes
  • Jaú: 1 morte
  • Ribeirão Preto: 1 morte

O secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, comentou na manhã de segunda-feira, 31, à Rádio Eldorado, que ainda há buscas. "Porém, pessoas ainda estão desaparecidas", disse ele. Em nota, apontou que "há ocorrências espalhadas por todo Estado relacionadas às chuvas, como alagamentos, queda de árvores, quedas de muros e deslizamentos de terra".

Um dos registros foi em Itapevi, na Travessa Principal, bairro do Jardim Bela Vista. Um bebê de três meses e ocorreu após um deslizamento de terra na noite de domingo, 30. A criança chegou a ser atendida, mas não resistiu. A mãe do recém-nascido também estava no imóvel e foi socorrida com vida.

Em Embu das Artes, uma mãe e dois filhos morreram após a residência em que estavam ser atingida por um deslizamento. São eles: uma mulher de 44 anos, um jovem de 21 anos e uma menina de 4 anos, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado.

Outra família está entre as vítimas da chuva em Várzea Paulista: a mãe (de 31 anos), o pai (42 anos) e os filhos, um menino, de 12, e duas meninas, de 1 e 10 anos. Segundo a SSP, o quarto da casa foi atingido por um volume de terra que se desprendeu do morro existente nos fundos do quintal. As vítimas foram encontradas sem vida.

Franco da Rocha registrou ao menos 13 vítimas, sendo três de um deslizamento no bairro Parque Paulista. Uma pessoa chegou a ser resgatada com vida, mas morreu no hospital. Entre as vítimas, há um menino de 13 anos. O município ainda busca por seis desaparecidos.

Diretor do Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil, o tenente-coronel Fauzi Salim Katibe destacou o forte impacto das chuvas em Franco da Rocha. "As equipes continuam trabalhando. Há notícia de pessoas desaparecidas ainda por lá, mas falar de número é complicado, pois os dados estão informais ainda. Vamos esperar os dados oficiais e concretos do gabinete de crise montado em Franco da Rocha", disse em entrevista à Rádio Eldorado

Municípios que decretaram situação de emergência:

Francisco Morato, Caieiras, Franco da Rocha, Jaú, Embu das Artes, Capivari, Agudos, Várzea Paulista, Santa Isabel e Campo Limpo Paulista.

Municípios atendidos com material de ajuda humanitária:

Francisco Morato, Jaú, Presidente Venceslau, Embu das Artes e Monte Mor.

Doria sobrevoa região e anuncia liberação de recursos

O governador João Doria (PSDB), que sobrevoou a região, disse que o "pior momento" ocorreu na madrugada e pela manhã e que "não há condições ainda do levantamento pleno". O governador anunciou a liberação de R$ 15 milhões para 10 cidades (Arujá, Francisco Morato, Embu das Artes, Franco da Rocha, Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista, Jaú, Capivari, Montemor e Rafard), para a recuperação urbana e social.

"Estou acompanhando com muita tristeza os danos causados pelas fortes chuvas em SP. Minha solidariedade às famílias e amigos das vítimas fatais. Estamos trabalhando nos resgates e autorizei recursos para acolher os atingidos", afirmou.

A circulação de trens chegou a ser interrompida em parte das estações da Linha 7-Rubi, de Caeiras a Francisco Morato, devido a alagamentos nos trilhos, mas foi normalizada na manhã de segunda-feira.

Em Franco da Rocha, o Rio Juquery e o Ribeirão Eusébio transbordaram, afetando diferentes regiões da cidade. No início da tarde, a Represa Paiva Castro atingiu 71,2% da capacidade. Segundo a Prefeitura, a água está "sendo bombeada e todas as manobras para evitar a abertura das comportas estão sendo feitas”. O município apontou que áreas de risco nas proximidades da represa começaram a ser evacuadas e as equipes que monitoram a situação seguem em “alerta máximo”.

O trânsito foi interrompido em vias do centro, como a Avenida Giovani Rinaldi, e de acesso ao município. Na Rodovia Luiz Salomão Chamma, que dá acesso à cidade, foram registrados deslizamentos. Em um trecho, a queda de uma árvore interditou parte da pista.

Pela manhã, foram registrados ao menos dois deslizamentos. No bairro Parque Paulista, a terra atingiu três casas. Quatro pessoas foram resgatadas e encaminhadas para atendimento na Upa local e no Hospital Estadual Lacaz. 

Na Vila Palmares, uma criança de 8 anos foi atingida e levada para atendimento em uma UPA. As equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros seguem em atuação em ambos os locais.

Em comunicado a Prefeitura pediu que a população evitasse circular a pé ou de carro, com exceção de moradores de áreas de risco. “O solo está muito encharcado devido ao acumulado dos últimos dias e o risco de deslizamento é muito maior”, apontou. Uma sequência de chuvas tem atingido a região metropolitana de São Paulo nos últimos dias.Na manhã deste domingo, o Corpo de Bombeiros também foi chamado para atender dois deslizamentos em Francisco Morato, na Grande São Paulo. Segundo informações iniciais, não há vítimas. 

Em um dos locais, na Rua São Carlos, cinco pessoas foram resgatadas e encaminhadas para atendimento médico, incluindo uma mulher de 56 anos, com fratura na perna, e um menino de 8 anos, encontrado desmaiado. Outros dois deslizamentos também foram registrados em Vargem Grande Paulista, nos bairros Vila São José e Jardim América, também sem vítimas registradas até o momento. 

Em Francisco Morato, foram registrados “diversos pontos de deslizamentos” e vias chegaram a ser obstruídas por queda e queda de árvores, de acordo com a Prefeitura. “A atenção segue voltada para as áreas de risco devido ao encharcamento do solo”, destacou em comunicado.

Já Caieiras divulgou ter recebido ao menos 15 chamados relativos a deslizamentos. Segundo a gestão municipal, não foram identificadas vítimas até o momento. Também há alagamentos em rodovia, ruas e avenidas.

Inmet alerta que Grande SP está com 'grande perigo' para deslizamentos

Grande parte do Estado de São Paulo está em alerta de "perigo" e "perigo potencial" para chuvas intensas no sistema de notificações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O informe aponta "risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e descargas elétricas".

O instituto emitiu outro alerta na madrugada de domingo e que segue vigente até esta terça-feira, no qual aponta "grande perigo" por causa do "acumulado de chuva" na Grande São Paulo e em trechos das regiões oeste e norte do Estado. "Grande risco de grandes alagamentos e transbordamentos de rios, grandes deslizamentos de encostas em cidades com tais áreas de risco", destaca. Havia previsão de novas chuvas para este domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.