Fraldas em vez de fraudes

Mau agouro

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2012 | 02h06

Entreouvido no QG da má notícia: "Enem sem fraude não tem graça nenhuma!"

Mentirinha à toa

Steven Seagal não sabe ainda como dizer a Anderson Silva que seu personagem no filme que farão juntos em Hollywood será dublado. Pode muito bem, nessas circunstâncias, botar a culpa no inglês ruim do lutador brasileiro, sem mencionar aquele probleminha mais grave na voz do "Spider"!

Mal comparando

O apoio do personagem Mr. Burns, o ganancioso patrão de Homer Simpson, ao candidato Mitt Romney não é, necessariamente, danoso à campanha republicana nos Estados Unidos. Aqui no Brasil, pelo menos, a aliança com Maluf não atrapalhou a eleição de Haddad.

Má notícia boa

Ronaldo Fenômeno já recuperou 22% de sua forma física no Medida Certa do Fantástico e, ainda assim, seu rendimento na esteira é pior que o de Zeca Camargo.

Ah, bom!

Está explicada a farra de Adriano em baile funk na semana passada! O Imperador estava se despedindo do futebol em 2012. Promete voltar após o réveillon!

Milhagem

Corrida eleitoral, nos Estados Unidos, não é força de expressão! Deve se eleger o candidato que percorrer a maior quantidade de milhas no caminho da Casa Branca. Vence, pelo visto, quem cruzar mais vezes o país até o final da votação.

Se os candidatos submetidos ao Enem foram pegos de surpresa pelo tema de redação Os Movimentos de Imigração do Brasil no século 21, imagine o susto daquela estudante que, sem ao menos saber que estava grávida, deu à luz um bebê no banheiro do local onde faria as provas de domingo em Mato Grosso do Sul!

Como, fora isso, nada de muito estranho ocorreu no fim de semana de aplicação do exame em todo o País, Aloizio Mercadante comemorou o parto natural do Enem - o primeiro de sua gestão no Ministério da Educação - como se fosse o pai do inesperado nenê de Sidrolândia.

Chegou até a ligar para a mãe da criança dizendo que o pequeno Everton virou "símbolo do Enem". Só faltou pedir desculpas por qualquer coisa à imprensa: "Não dá para botar uma parteira em cada escola!"

O ministro não disfarçou sua alegria por estar falando de fraldas em vez de fraudes ao final de mais uma maratona de avaliação do ensino médio no Brasil.

A felicidade espontânea de toda a família de Everton com o tema inesperado de sua chegada também ajuda Mercadante a acreditar que tudo conspira a favor do Enem. Nem o que poderia ser um escândalo doméstico se criou nas provas deste ano.

Trauma de infância

Aproveitando que Messi não marcou no fim de semana, amigos do craque argentino ganharam mais alguns dias para convencê-lo a não chupar chupeta ou o dedão da mão quando, enfim, puder homenagear o nascimento de Thiago com gols. O filho do Robinho sofre bullying até hoje na escola por causa desta mania do pai!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.