Força-tarefa interdita festa com 1,5 mil pessoas na zona sul de SP

Força-tarefa interdita festa com 1,5 mil pessoas na zona sul de SP

Maioria dos presentes de festa em Santo Amaro, estava sem máscara, segundo Secretaria da Saúde; outro evento na zona sul também foi encerrado

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2021 | 17h56

SÃO PAULO - O Comitê de Blitze do Governo do Estado e da Prefeitura de São Paulo encerrou, na madrugada deste domingo, 18, uma festa clandestina com 1,5 mil pessoas em Santo Amaro, na zona sul da capital. Outro evento com 350 pessoas foi interditado na Vila Olímpia, também na zona sul, por descumprimento de medidas contra a covid-19.

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde o evento em Santo Amaro registrou aglomeração e maioria das pessoas estava sem máscara. Na Vila Olímpia, outra balada também teria descumprido medidas sanitárias. 

Ainda de acordo com a pasta, ao todo, 24 estabelecimentos foram inspecionados pela Vigilância Sanitária entre o sábado e a madrugada de domingo. Destes, nove foram autuados.

"Desde o começo da pandemia de covid-19, mais de 541 mil pessoas já morreram da doença no Brasil. No Estado de São Paulo, foram mais de 134 mil vidas perdidas", diz a nota.

"Criado no dia 12 de março, em parceria com a Prefeitura de São Paulo, o Comitê de Blitze tem como objetivo reforçar as fiscalizações e o cumprimento das medidas restritivas da fase emergencial e evitar a propagação do coronavírus."

Além da Vigilância Sanitária do Estado, fazem parte do comitê o Procon-SP, as Polícias Civil e Militar, a Guarda Civil Metropolitana e gentes da Covisa (Coordenadoria da Vigilância Sanitária) da Prefeitura de São Paulo.

"Qualquer pessoa pode denunciar festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços não essenciais pelo telefone 0800-771-3541 e também no site www.procon.sp.gov.br ou pelo e-mail secretarias@cvs.saude.sp.gov.br, do Centro de Vigilância Sanitária", orienta o Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.