Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

'Fomos conversando no caminho numa boa', diz Suplicy sobre PMs

Ao deixar delegacia, ex-senador afirmou que foi bem tratado pelos policiais e que se colocou na frente deles pois temia que confronto terminasse com feridos

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S.Paulo

25 Julho 2016 | 15h03

SÃO PAULO - O ex-senador Eduardo Suplicy (PT), candidato a vereador em São Paulo, afirmou que foi bem tratado pelos policiais militares que o prenderam e o colocaram na viatura e o caminharam ao 75º Distrito Policial (Jardim Arpoador), na zona oeste da capital paulista. O político foi detido ao tentar impedir uma reintegração de posse na Cidade Educandário, na região da Rodovia Raposo Tavares. Ao deixar a delegacia, Suplicy brincou com a situação.

"Fomos conversando no caminho numa boa. Eu perguntei que idade eles tinham, acho que era 28, 32 e 43 anos. Perguntaram a minha, eu falei 75 anos. Disse a eles que ainda hoje de manhã, às 6h45, eu tinha feito minha aula de ginástica, mantenho a boa forma", declarou o ex-senador. "Dos 15 ao 21, eu treinei boxe, participei do campeonato da Gazeta Esportiva. E procuro me manter sempre em boa foma. Se necessário for, eu sei como fazer. Mas eu continuo um grande discípulo da não violência."

Em seguida, um fã entregou um marmitex ao político, que sorriu, aceitou o presente e agradeceu, deixando a delegacia em seguida.

Suplicy disse que se pôs na frente da Polícia Militar pois temia que um possível confronto pudesse terminar com pessoas feridas. "Felizmente nada aconteceu. Todo meu esforço foi para que não houvesse violência", afirmou. "Houve uma preocupação maior depois do que aconteceu comigo. Não houve confrontos maiores."

O ex-senador se deitou diante dos policiais militares e precisou ser levantado à força e carregado pelos agentes para ser colocado na viatura.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.