Fome? Pega a fila Haja hotel e toalha Sai um, entra outro Rock in lago

As filas com até uma hora de espera não assustavam só quem queria brincar na Roda Gigante ou na Montanha Russa. Roqueiros famintos procuravam de um lado a outro por uma barraca de escondidinho de carne seca a R$ 14 ou de coxinha por R$ 3 que tivesse um atendimento mais rápido.

O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2011 | 03h01

Mais alguns números superlativos para mostrar o tamanho da brincadeira: sabe quantos quartos de hotel foram alugados pela produção do Rock in Rio? Três mil. Quantas toalhas foram pedidas para os camarins? 900 por dia. E qual o pedido mais bizarro? "Não recebemos pedidos bizarros", diz a assessoria.

O Palco Sunset sofreu com o atraso de 20 minutos logo no primeiro show. O efeito cascata fez com que todos os próximos shows começassem depois do previsto. Mas os técnicos do espaço merecem palmas. A troca de aparelhagens entre uma banda e outra levava inacreditáveis dez minutos.

Se alguém pensou em entrar nadando na Cidade do Rock pela vizinha Lagoa de Jacarepaguá (sim, apostamos que muita gente pensou nisso), esqueça. A organização do evento se antecipou e instalou câmeras termosensíveis capazes de identificar um gaiato a 4 km de distância, além de reforçar a segurança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.