''Foi um erro tê-los deixado sozinhos'', admite acusada

Os pais depuseram novamente ontem na polícia e à tarde foram para o Fórum de Itapecerica da Serra. Eles não conseguiam explicar a ação do filho. "Não entendo o por quê", afirmou o pai à reportagem. "Meus filhos não sofrem maus-tratos." Pedreiro, ele trabalha em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, sai de casa por volta das 4 horas e só volta no início da noite.

Elvis Pereira, O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2011 | 00h00

  Veja também:

link Menino liga para o 190 ao ser deixado pela mãe

linkOuça um trecho da ligação do garoto para PM

A mãe, Helena, disse estar arrependida. "Foi um erro ter deixado meus filhos sozinhos", admitiu. "Eu costumava deixar o mais velho com os dois para trabalhar", afirmou.

Mais cedo, no entanto, na saída da delegacia e com um dos filhos no colo, ela negou à imprensa que tivesse abandonado as crianças. "Eu bati nele, sim, para corrigir. Não queimei ele, não. Fiz coisa normal de mãe."

Videogame. Um conselheiro tutelar afirmou à Rede Globo que não havia indícios de que as crianças eram maltratadas e um dos motivos que teria levado o garoto de 12 anos a ligar para a polícia é porque foi proibido pela mãe de jogar videogame. Segundo ele, Helena faz faculdade de Pedagogia e trabalha nos fins de semana, das 11h às 15h. O pai é quem deveria ficar com as crianças no sábado. Mas o filho ligou para o 190 antes da chegada dele.

Naquela manhã, Helena havia saído de casa por volta das 10h45 rumo à escola onde trabalha nos fins de semana como parte do programa Bolsa Universidade. "Eu voltaria ao meio-dia para dar almoço para eles."

Questionada sobre a atitude do filho de ligar para a PM, ela respondeu que o garoto foi "induzido por parentes". A mãe não deu mais detalhes sobre os motivos que teriam levado à denúncia. Ela também não comentou as declarações do menino de que estaria agindo por ciúmes.

Na tarde de ontem, um psicólogo da Vara da Infância ouviu os pais e o garoto de 12 anos separadamente. O menino teria desmentido parte do relato feito à polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.