'Foi mais violento do que o esperado', diz tio de Roberto

O empresário Domingos Laudisio, tio de Roberto Laudisio Curti, afirmou ontem em Sydney que "a família já viu a maior parte das evidências que serão exibidas" no tribunal. Segundo ele, os parentes somente vão se pronunciar sobre o caso depois de ouvir os depoimentos das testemunhas e dos policiais envolvidos na morte do jovem de 21 anos.

O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2012 | 03h08

Outro tio de Roberto, Eduardo Laudisio disse que o resultado das investigações revela a gravidade das circunstâncias da morte do rapaz. "Foi bem pior, mais violento do que esperávamos", disse. Ele afirmou que a família quer tornar público o que realmente aconteceu com o rapaz.

Eduardo disse que Roberto "pode ter exagerado como qualquer jovem", mas criticou a conduta dos policiais. "Subiram nele algemado e usaram Tasers e tubos de gás pimenta. Não tem ser humano que aguente uma atrocidade dessas", disse. Eduardo também lamentou o que chamou de tentativa da polícia de desqualificar Roberto.

A respeito de uma possível indenização, caso os tribunais decidam que a polícia foi responsável direta pela morte, Eduardo disse que a família não está preocupada com dinheiro. "Nosso interesse é punir culpados e que todos saibam a realidade na Austrália." / J.B., ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.