Fogo destrói vagão de trem com 60 toneladas de celulose

Trem passava por viaduto em Lins (SP) quando o fogo começou

Sandro Villar, Especial para O Estado

25 de outubro de 2014 | 12h57

Carregado com 60 toneladas de celulose, um vagão de um trem foi destruído por um incêndio quando a composição passava por um pontilhão em Lins, no interior de São Paulo. Vândalos atearam fogo no vagão. O incêndio começou pouco depois das 20h dessa sexta-feira, 24, e só foi controlado por volta das 11h deste sábado, 25. "Queimou a noite inteira, foram 15 horas de fogo, que destruiu toda a carga e o vagão", explicou Dionísio Gonçalves Barbosa, de 50 anos, cabo do Corpo de Bombeiros de Lins.

Ao todo, sete bombeiros combateram as chamas. "Tivemos a ajuda de um caminhão-pipa de uma usina", afirmou o cabo. O vagão atingido não ficou em cima do pontilhão. O maquinista percebeu o incêndio e parou o trem.

"Para evitar que o fogo atingisse todo o trem, o vagão foi desengatado e isolado", contou Barbosa. Dormentes da estrada de ferro também foram queimados. "São pelo menos dez dormentes destruídos, o que interrompeu a ferrovia", disse o bombeiro.

A troca dos dormentes já está sendo feita pela América Latina Logística (ALL). "Estamos providenciando a substituição dos dormentes", afirmou Marcelo da Silva Gomes, de 41 anos, técnico de operações da ALL. Ele não descarta a hipótese de incêndio criminoso: "Tudo indica que sim, o vagão foi queimado por vândalos", completou, observando que não sabe o valor da carga queimada.

Tudo o que sabemos sobre:
Incêndiocelulose

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.