Fluxo de carros na Marginal deveria ter sido parado

Se as exigências para a liberação da Nova Marginal tivessem sido atendidas, dificilmente se veriam, neste ano, as cenas de carros alagados na maior via da cidade. O relatório do Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Cade) - órgão que liberou a obra - prevê a elaboração de um "plano de emergência da via por motivo de alagamentos". O texto deveria determinar medidas de segurança que incluíssem a interrupção do tráfego na Marginal e o uso de rotas alternativas. Ou seja, em uma manhã como ontem, os motoristas deveriam ter sido avisados do problema, não poderiam trafegar na Marginal e seriam direcionados para um lugar seguro. Mas nada saiu do papel.

, O Estado de S.Paulo

12 Janeiro 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.