Fiscalização aplica 164 multas por desrespeito à lei antiálcool em SP

Nova lei determina sanções administrativas, além das punições civis e penais, a quem vende bebidas alcoólicas para menores de idade

estadão.com.br,

07 Dezembro 2011 | 11h55

SÃO PAULO - Agentes da Vigilância Sanitária Estadual e do Procon de São Paulo aplicaram 164 multas em estabelecimentos que desrespeitaram a lei antiálcool para menores. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira, 7, pela Secretaria de Estado da Saúde.

Segundo o balanço, somente na capital paulista foram aplicadas 109 multas. Na Grande São Paulo houve nove autuações, e outras 46 multas foram aplicadas no interior e no litoral do Estado.

A nova legislação está em vigor há 15 dias. Neste período foram feitas 16,7 mil inspeções a pontos do comércio paulista, o que significa 46 fiscalizações por hora em todo o Estado.

Pela nova lei, bares, restaurantes, lojas de conveniência e baladas, entre outros locais, não podem vender, oferecer nem permitir a presença de menores de idade consumindo bebidas alcoólicas no interior dos estabelecimentos, mesmo que acompanhados de seus pais ou responsáveis maiores de idade.

Entre os dias 19 de outubro e 19 de novembro os agentes da Vigilância Sanitária Estadual e Procon-SP percorreram cerca de 12 mil estabelecimentos em blitze educativas para orientar os proprietários e responsáveis.

A nova lei paulista determina sanções administrativas, além das punições civis e penais, a quem vende bebidas alcoólicas para menores de idade. Está prevista a aplicação de multas de até R$ 87,2 mil, interdição por até 30 dias, ou até mesmo a perda da inscrição no cadastro de contribuintes do ICMS, de estabelecimentos que vendam, ofereçam, entreguem ou permitam o consumo em suas dependências de bebida alcoólica entre menores de 18 anos.

A Secretaria recebeu 214 denúncias da população, das quais 92 na capital, pelo telefone 0800 771 3541 ou pelo site da lei (www.alcoolparamenoreseproibido.sp.gov.br).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.