Fins de semana têm 41% dos acidentes fatais

Informação está em relatório da CET sobre o ano de 2009. Principais causas são embriaguez e excesso de velocidade

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2010 | 00h00

O período compreendido entre a noite de sexta-feira e a de domingo concentra 41% de todos os acidentes de trânsito que provocam mortes na cidade de São Paulo. E os casos acontecem principalmente durante a noite e madrugada, segundo dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). As causas são o excesso de velocidade e a embriaguez ao volante.

Os dados fazem parte do Relatório de Acidentes de Trânsito - 2009, que desde quinta-feira estão sendo divulgados pelo Estado. O documento traz uma radiografia dos acidentes fatais na capital paulista, mostrando os tipos mais comuns, os veículos envolvidos e o perfil das vítimas. As outras duas reportagem mostraram os casos envolvendo motos e ônibus.

Os dados da CET mostram que os fins de semana lideram as estatísticas em todos os tipos de acidentes mapeados: atropelamentos, choques (quando um veículo bate contra postes, muros e árvores) e colisões (entre os veículos). "A lei seca ajudou a reduzir a quantidade de acidentes fatais, mas a embriaguez ainda é o principal motivo, junto com o excesso de velocidade", diz a superintendente de Segurança de Trânsito da CET, Nancy Schneider.

Veículos desgovernados. É registrada, por exemplo, média de 0,95 choque que resulta em mortes nos fins de semana. O número é 82% superior ao dos outros dias da semana. "Os choques são os mais característicos, pois são consequência de veículos desgovernados nas vias que atingem um ponto fixo. São quase sempre consequência de embriaguez e/ou excesso de velocidade", completa Nancy.

No ano passado, o período que mais concentrou choques com mortes foi a madrugada de domingo, com 28 casos. Esse também é o horário que mais registrou acidentes gerais - envolvendo todos os tipos mapeados pela CET. Uma explicação é que esse é considerado um horário de balada. Os dados da companhia mostram que 56% das vítimas maiores de idade no trânsito da capital são solteiras.

As colisões fatais entre os veículos também se concentram nas madrugadas de sábado e de domingo, com 29 e 23 casos registrados no ano passado, respectivamente.

Em relação aos atropelamentos, esses acidentes estão concentrados no período da noite e é o tipo que está mais diluído ao longo dos dias da semana. Aconteceram no ano passado em média 31,5 casos nos fins de semana. Mas outros dias chegaram perto ou superaram esse índice, como segunda-feira (31) e quinta-feira (32).

Volta às aulas. Os acidentes que resultam em mortes estão distribuídos ao longo dos meses de uma maneira quase homogênea, com exceção de três grandes picos: março, agosto e dezembro.

"Os dois primeiros são períodos de volta às aulas. E dezembro tem a ver com a economia, porque as pessoas estão com o dinheiro do 13.º salário e saem para fazer compras e, por isso, há mais carros nas ruas", afirma o diretor de Planejamento e Segurança da CET, Irineu Gnecco Filho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.