Fim da interdição

Nunca vi um descaso tão grande com o usuário de uma rodovia como o que sofri no dia 29/5 no trecho que antecede a

, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2010 | 00h00

cidade de Mairiporã. Foram 4 horas num percurso de pouco mais de 3 quilômetros até atingir um desvio estreito, esburacado e de mão dupla. Por que não há um aviso, antes de ingressar na Fernão Dias, para que o usuário possa optar por outras vias ou até desistir de prosseguir a viagem? Se tivesse ido pela Bandeirantes até Campinas teria chegado ao destino, Atibaia, em menos tempo e sem estresse. Por que será que tudo que o governo federal faz não funciona?

JOÃO MAGRO VENTURA / SÃO PAULO

A Autopista Fernão Dias, concessionária que administra a BR-381 de São Paulo a Belo Horizonte, esclarece que a pista sentido Belo Horizonte foi interditada no dia 26/2, por motivos de segurança, por causa do deslocamento da encosta que afetou as estruturas do viaduto do km 79. Diz que, desde então, a concessionária tem recomendado aos motoristas que usem os desvios alternativos, como as Rodovias Presidente Dutra, Ayrton Senna e Anhanguera-Bandeirantes. No dia 1º, às 10 horas, no trecho que vai do km 76 ao km 79 da pista sentido São Paulo foi adotada mão dupla, liberando, assim, o tráfego no sentido Belo Horizonte da rodovia, o que possibilita ao motorista utilizar novamente a Rodovia Fernão Dias. Quanto à obra, a concessionária informa que está avaliando o melhor projeto de intervenção no

viaduto, que é um problema de solução complexa, para garantir a segurança da obra e dos trabalhadores envolvidos. Informa ainda que divulga as condições da rodovia permanentemente pelo seu 0800, informes no site e pela imprensa, que também alertou os

usuários quanto à interdição no km 79.

SEGURANÇA PÚBLICA

Policiamento no Morumbi

Moro numa rua sem saída que cruza a Avenida Giovanni Gronchi, no Morumbi, e é vizinha à Favela Paraisópolis. Já fiz inúmeras queixas sobre a violência do local. Com frequência, vejo pessoas sendo assaltadas. Volto para casa de ônibus e não há segurança para andar nem 1 quarteirão. Já chamei a polícia, que nunca apareceu. Há algumas semanas, ela tem ficado em alguns pontos da Giovani Gronchi pela manhã e pela tarde, apenas multando alguns carros. Às vezes, confundo policiais com agentes da CET, pois ficam parados com bloquinhos na mão, enquanto as pessoas são assaltadas na esquina seguinte.

ISADORA TALAMO / SÃO PAULO

A Polícia Militar (PM) esclarece que as 2ª e 5ª Companhias do 16º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano cuidam da região citada com programas de policiamento que são desenvolvidos de acordo com as características particulares do lugar. Responde que não concorda com a leitora quando ela diz que os policiais estavam

"apenas multando alguns carros". A presença do policial num local de visibilidade, por si só, inibe a prática de delitos na região onde o patrulheiro está. A fiscalização de trânsito também é de responsabilidade da PM e o Comando de

Policiamento de Trânsito (CPTran) ajuda a inibir os condutores

embriagados, fiscaliza a carga de produtos perigosos e orienta

condutores de carros e motos - evitando acidentes, roubos nos corredores e colaborando para a fluidez do trânsito. Caso o cidadão presencie alguma emergência ou alguma atitude suspeita, ele deve ligar ao 190, passando todos os dados do local ou da situação ao atendente.

OBRAS SEM PRAZO

Descaso na saúde

Sou conselheira do sistema de saúde Pirituba-Perus e reivindicamos desde 10/6/2009 massa asfáltica para o Hospital José Hungria Soares. O material não foi entregue até hoje nem tivemos retorno quanto ao pedido. Também gostaria de pedir informações sobre a reforma para a UBS Jardim Cidade Pirituba, que está infestada de cupins

em suas instalações, apresenta

rachaduras, afundamento de

piso, entre outras mazelas que prejudicam o atendimento

aos munícipes.

MARIA RAIMUNDA DOS SANTOS COUTO / SÃO PAULO

A Coordenadoria Regional de Saúde Norte esclarece que, em relação à UBS Jardim Cidade Pirituba, já está entre as prioridades a reforma da unidade, que será realizada o mais breve possível. A Coordenadoria ressalta ainda que essa UBS tem capacidade para 2.600 consultas ao mês e que se trata de uma unidade mista, com Equipes de Saúde da Família, além do serviço odontológico e pediátrico. As atividades seguem as diretrizes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), respeitando o perfil epidemiológico da área de abrangência e não foram prejudicadas. Em relação ao Hospital Dr. José Soares Hungria, conhecido também como Hospital de Pirituba, a autarquia hospitalar municipal informa que está estudando a melhor forma

de aplicar as raspas de asfalto doadas pela Subprefeitura de

Pirituba-Jaraguá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.