Filmes, oficinas, debates: a semana de moda já começou

Apesar de os desfiles da SPFW só começarem na quinta, vários eventos em cinemas e centros culturais já movimentam a cidade

VALÉRIA FRANÇA, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2012 | 03h04

Faltam dois dias para o início da São Paulo Fashion Week no Parque do Ibirapuera, na zona sul, mas eventos que têm moda como tema já estão movimentando a cidade. Até dia 24, cinemas e centros culturais terão um roteiro de exposições, filmes e oficinas. Tudo gratuito e aberto ao público.

A programação está espalhada por sete endereços da cidade. Apenas em dois deles o visitante terá de pagar um ingresso - simbólico. Na Pinacoteca do Estado, no centro, onde acontecem bate-papos, a entrada custa R$ 6, no fim de semana. E na Reserva Cultural, na Avenida Paulista, sai por R$ 5, no dia 29, com direito a um típico café da manhã francês - com croissant e pão de chocolate -, à sessão do filme O Louco Amor de Yves Saint Laurent e a uma palestra com um profissional de uma agência de modelos.

O maior cardápio de filmes, no entanto, está no Cinema da Universidade de São Paulo (Cinusp). São oito títulos com ambientações e estilos bem diversos - desde a Época da Inocência, de Martin Scorsese, que se passa no fim do século 19, a Bonequinha de Luxo, nos anos 1960, de Blake Edwards, com a ícone da moda Audrey Hepburn.

Futebol de várzea. Outro endereço da moda é o Museu do Futebol, no Estádio do Pacaembu. Lá haverá oficinas de origami na qual as crianças aprenderão a fazer uniformes de futebol. Além de um exposição histórica com camisetas de clubes, está programada para o dia 24, às 15 horas, a palestra Futebol, Cultura Jovem e Arte, do pesquisador Fernando Zelman, que também organiza o evento.

"O objetivo desse circuito cultural é democratizar a moda e aproximá-la do dia a dia das pessoas", diz Zelman. "Muita gente não sabe que moda não é apenas ir ao shopping e comprar o modelito da estação. Moda é documentação histórica, expressão de arte e cultura."

É exatamente a documentação histórica do trabalho de grandes costureiros que o público verá na exposição Coulisses de La Mode, na Galeria L'Oleil, da Aliança Francesa, em Santo Amaro, zona sul. São 40 fotos em preto e branco feitas pelo francês Bruno Pellerin. Nos 30 anos passados nos bastidores das principais semanas de moda do mundo, ele registrou o dia a dia das modelos e momentos de descontração das equipes que muitas vezes tinham as ruas da cidade como cenário. A exposição pode ser vista até 11 de fevereiro. "Pellerin ainda tem um trabalho de luz e sombra muito interessante", diz Juliette Streitwieser, de 36 anos, coordenadora cultural da Aliança Francesa.

Na unidade dos Jardins, de 24 de janeiro a 10 de março, a escola ainda promove a exposição Lumière de Soie, dos irmãos Dorothy e Nido Campolongo. Ela tem um conhecido trabalho internacional com seda e ele, com design de objetos sustentáveis. "O título é uma brincadeira em francês com o conceito 'luz de si' e 'luz de seda'", explica Juliette.

Participa também do Circuito de Moda e Arte o Museu Lasar Segall, que ontem recebeu o historiador Bruno Braga para a palestra A Moda no Brasil durante a Semana de 22. O museu também exibe uma mostra de filmes. Na próxima edição, segundo os organizadores, a programação vai se estender também a pontos da periferia da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.