Filha de assessor acusado pedia 'pena de morte' para ré

A acusação feita anteontem por Carla Cepollina de que o coronel Gérson Vitória teria assassinado o coronel Ubiratan Guimarães, de quem era assessor, causou revolta. Em uma rede social, a filha do acusado, Luciana, disse que seria melhor não ter conhecido Carla. "Ela merece pena de morte. Não queria ter de viver na mesma cidade, no mesmo país que essa infeliz. Ela vai pagar por tudo, mais cedo ou mais tarde."

O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2012 | 02h02

Luciana disse que seu pai ficou doente após a morte de Ubiratan. "Muito da doença dele eu acredito que veio de tanto desgosto e depressão que ele teve com a morte do coronel Ubiratan."

Ex-assessora de Guimarães, Karina Florido Rodrigues afirmou estar abismada com as declarações da ré. "De todas as besteiras que ela falou nesse julgamento, a maior foi essa", disse. Segundo Karina, Gérson era um dos melhores amigos de Ubiratan. "Eram quase irmãos", disse.

Karina disse estar decepcionada com a ré. "Eu achava que ela estaria abalada. É uma pessoa fria." / JULIANA DEODORO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.