Festas saudáveis são a nova aposta em bufês infantis

De olho na saúde dos filhos, pais paulistanos procuram cada vez mais lugares que trocam o fast-food por quitutes saudáveis

MARIANA LENHARO, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2012 | 03h07

Sai a coxinha de frango, entra o muffin de abobrinha. E, no lugar do refrigerante, água aromatizada ou suco orgânico. Preocupados com o avanço da obesidade infantil e com a saúde das crianças, os pais têm buscado uma alimentação saudável para os filhos até no dia de comemorar o aniversário. E os bufês da capital já se adaptam à tendência.

As crianças aprovam, desde que as comidinhas sejam coloridas e atraentes. Sócia do Espaço Vila da Arte, na Barra Funda, zona oeste, Julia de Carvalho Ferreira capricha na aparência dos quitutes. Seu bufê serve espetinho de tomate e mussarela de búfala, caldinho de legumes e minibeirute com pão caseiro.

Para garantir a adesão às opções naturebas, vale a ajuda dos recreadores, que fazem piquenique e transformam o suco de fruta natural na poção mágica que dá superpoderes. "As mães ficam satisfeitas porque veem que os filhos comem de verdade", diz Julia. A coordenadora de marketing Alessandra Fontes, de 38 anos, concorda, ao ver os espetinhos de frutas devorados pelo filho Pedro, que comemorou seus 5 anos no local.

Dona do bufê Miniland, no Tatuapé, na zona leste, a arquiteta Simone Nakamura valoriza o colorido dos lanches. O sanduíche natural com recheio de pasta de beterraba e pasta de espinafre, por exemplo, tem o "rosa da Barbie" e o "verde do Popeye".

Simone acrescenta que, muitas vezes, os próprios pais se surpreendem com o paladar das crianças. "Alguns acham que os filhos só gostam de Nuggets. Mas, aqui, comem de tudo: caldinho, polentinha, sopa de legumes. A resposta é muito boa."

Inaugurado há quatro anos, o Miniland propõe um cardápio que também agrade aos adultos. "Sou mãe e frequentava muitos bufês. O cardápio era sempre a mesma coisa", conta Simone.

A chef Damodara Lila, à frente do Buffet Shanti Vegetariano, tem percebido uma mudança no perfil de seus clientes. Antes, só famílias vegetarianas ou aquelas em que a criança tinha intolerância ao glúten ou à lactose procuravam o serviço. Hoje, o público é bem mais amplo. "Todo mundo está procurando diminuir o nível de açúcar, querem pratos com farinhas integrais e doces com ingredientes orgânicos."

Só uma dupla resiste ao apelo natureba das novas festinhas: bolo e brigadeiro estão garantidos em todos os cardápios - às vezes, feitos com açúcar orgânico. Outro item que pouco muda em relação aos bufês tradicionais é o preço da festa. Uma comemoração natureba para 50 pessoas pode custar cerca de R$ 5 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.