Festa fecha rua e causa confusão

Evento universitário teria atrapalhado escolinha

FELIPE TAU / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

25 Abril 2012 | 03h35

O fechamento de uma rua para a festa de alunos de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), na Vila Mariana, zona sul da cidade, provocou revolta em servidores da Unifesp e funcionários do Hospital São Paulo. Eles reclamaram que a escola infantil da universidade, voltada a seus filhos, foi prejudicada pelo barulho e teve de encerrar as aulas mais cedo.

A Rua Varpa, travessa da Rua Pedro de Toledo que dá acesso à Escola Paulistinha, ficou bloqueada em um trecho de 50 metros durante todo o dia, para a realização do Banho do Sexto Ano, tradicional na turma de Medicina. Sem poder cruzar a festa para chegar à escola, na mesma rua, os pais tiveram de dar a volta no quarteirão e chegar à entrada pela rua de baixo, que é contramão para quem vai de carro.

O som alto, disseram, atrapalhou o sono de bebês e as atividades. "Tive de me ausentar do serviço para pegar minha filha antes do horário normal, porque me ligaram ao meio-dia", disse a técnica de laboratório do Hospital São Paulo Silene Fernandes, de 49 anos. As aulas acabam às 16h.

Em nota, a Unifesp informou que a festa foi de responsabilidade dos alunos do 6.º ano e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e a Subprefeitura da Vila Mariana autorizaram a interdição da rua. A entidade afirmou ainda que as aulas da escolinha não foram interrompidas. Procurada, a CET admitiu ter autorizado o evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.