Ferro-velho vira cenário de moda

Cavalera troca o prédio da Bienal por depósito de sucata na Mooca, onde apresenta desfile

VALÉRIA FRANÇA, FLÁVIA GUERRA, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h06

O último dia de desfiles da São Paulo Fashion Week vai começar hoje em um ferro-velho. O cenário é o caos. Corredores amplos e iluminados do prédio da Bienal projetado por Oscar Niemeyer, no Parque do Ibirapuera, zona sul, serão trocados por caminhos tortuosos, entre montanhas de sucata - há até vagões de trem, sobre os quais três modelos vestidos de anjos ficarão à espera do público.

Conhecido por sempre realizar desfiles em lugares inusitados - até a margem do Rio Tietê já virou cenário em 2008 -, Alberto Hiar, dono da marca Cavalera, desta vez escolheu o espaço da Cicloaço, uma empresa na Mooca, zona leste. "A reciclagem é um tema atual", justifica ele, que teve a ideia porque costuma passar em frente do ferro-velho.

A Cavalera não é a única marca que costuma tirar o público da tradicional sala de desfiles (veja abaixo), mas é a que mais lança mão desse tipo de estratégia. Ontem, uma equipe de cem pessoas se espalhou pelo terreno de 7 mil m² para arrumar a sucata de uma forma, digamos, plástica. De camiseta regata e bermuda, Wan Vieira, diretor do desfile, estava à vontade. No pátio da Cicloaço, movimentava-se entre escavadeiras, guindastes e eletroímãs - máquinas bem barulhentas que estarão funcionando quando o público chegar hoje. "Teremos ao menos três funcionando para dar um clima", antecipa o diretor que, nesta temporada da São Paulo Fashion Week já assinou os desfiles de Adriana Degreas, Paula Raia e Fause Haten.

Funcionário do ferro-velho, o pernambucano Isac da Rocha, de 57 anos, estará no comando de uma das máquinas. "Vai ser o primeiro desfile da minha vida", contou, orgulhoso.

Quando começar o show, as máquinas vão parar para que o público ouça a trilha sonora. Metamorfose Ambulante, de Raul Seixas, e Me Chama que Eu Vou, de Sidney Magal, que foi tema da novela Rainha da Sucata, da TV Globo, são algumas das músicas escolhidas para dar o clima do desfile. O resto ficará por conta dos 50 modelos, que, para não se machucarem no cenário, entrarão de salto baixo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.