Férias - Cinco cidades. Um mês inteiro de diversão

Esportes radicais ou a calmaria da montanha? Escolha seu roteiro ideal na região de Campos do Jordão e a menos de 200 km da capital

Gerson Monteiro, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2011 | 00h00

O Estado percorreu cinco cidades da Serra da Mantiqueira e preparou um roteiro de férias recheado de opções para quem busca o ar puro das montanhas, o sossego do interior, a beleza e o sabor da região de Campos do Jordão e do sul de Minas. Todas as opções estão a menos de 200 km da capital paulista: Monteiro Lobato, São Francisco Xavier, Santo Antônio do Pinhal, São Bento do Sapucaí e Gonçalves.

Em São Paulo, pegue a saída para a Rodovia Ayrton Senna-Carvalho Pinto - a melhor opção para evitar os caminhões. Entre em São José dos Campos e siga as placas que indicam a primeira parada do roteiro de férias: Monteiro Lobato - acesso pela Rodovia Monteiro Lobato (SP-50), estrada velha de Campos do Jordão -, onde viveu um dos maiores escritores da literatura brasileira. Lá está o verdadeiro Sítio do Pica-pau Amarelo. De Monteiro Lobato, siga as placas que indicam o distrito de São Francisco Xavier - para um pacote completo de ecoturismo.

De volta a Monteiro Lobato, o próximo destino é a charmosa Santo Antônio do Pinhal, refúgio para quem busca a calmaria e os sabores da montanha. Para chegar lá, basta seguir pela SP-50, sentido sul de Minas. No trevo, pegue a saída para Santo Antônio.

A vizinha São Bento do Sapucaí abriga o Complexo do Baú, rota obrigatória para escalada esportiva, com altitude de quase 2 mil metros. A próxima e última parada é a mineira Gonçalves, para quem quer conciliar adrenalina com as delícias da culinária mineira. Seu principal acesso é pela Rodovia MG-1930, no entroncamento com a MG-173.

Condições das estradas. Todo o percurso sugerido é de pista simples e estreita. No trecho paulista, o motorista deve ficar atento ao asfalto irregular, com degraus e buracos. Na SP-42, que liga o Vale do Paraíba ao sul de Minas, o turista vai encontrar movimento intenso de caminhões nos dois sentidos, com diversos trechos em obras, até com Operação Pare e Siga, na altura de São Bento do Sapucaí. Já no percurso pelas estradas mineiras, a sinalização e o asfalto estão em bom estado.

1 - Santo Antônio do Pinhal é perfeita para quem pretende descansar ao pé da montanha. Próxima de Campos do Jordão, lá também se hospedam turistas que querem passar o dia no destino mais procurado do inverno paulista.

A estância climática tem uma linda vista do Vale do Paraíba, no Mirante da Santa, ao lado da Estação Eugênio Lefèvre, que serve como parada das três viagens diárias do bondinho que sai da Vila Capivari, em Campos do Jordão. O passeio dura três horas e deve ser agendado dez dias antes.

Se a ideia é relaxar, a sugestão é um passeio pelos jardins temáticos, do japonês ao tropical. Os aventureiros podem fazer trilhas na mata no parque ecológico na cidade, de onde se vê a Pedra do Baú, na vizinha São Bento do Sapucaí. No percurso é comum encontrar animais silvestres. O parque oferece ainda um circuito com arvorismo, tirolesas e rapel.

Esportes radicais também são o atrativo do Pico Agudo, onde são oferecidos voos de paraglider, com saltos a 1,7 mil metros de altitude.

Serviço

JARDINS TEMÁTICOS E CIRCUITO RADICAL: (12) 3666-2021. ESTRADA DE FERRO: (12) 3663-1531. MAIS INFORMAÇÕES: WWW.ACASAP.COM.BR

2- A entrada da mineira Gonçalves já encanta o turista: são 13 km de estrada vicinal com árvores floridas e montanhas e a Pedra do Baú como paisagem.

No mesmo caminho, estão inúmeros alambiques, que fabricam artesanalmente a autêntica cachaça do sul de Minas. Neles, o visitante pode conferir o processo de produção, degustar e levar sua garrafa para casa.

Para quem gosta de aventura, a sugestão é o caminho da Serra da Balança, entre Gonçalves e São Bento do Sapucaí. A estrada tem pedras, curvas fechadas e vários trechos de lama. Por isso, apenas veículos com tração 4x4 passam por ali. O percurso leva 7 horas e é pura adrenalina. A cidade tem ainda várias cachoeiras e trilhas para caminhada.

A área central de Gonçalves é pequena - são 4 mil habitantes - e boa parte de sua população vive na área rural, onde também estão as pousadas e os restaurantes que oferecem o tradicional tutu de feijão. O café da tarde fica completo com a broa de milho e o queijo fresco, sempre acompanhados das geleias fabricadas artesanalmente.

Serviço

CENTRO DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS DE GONÇALVES: (35) 3654-1271. MAIS INFORMAÇÕES: WWW.GONCALVES.MG.GOV.BR E WWW.GONCALVESTUR.COM.BR

3- A cidade de Monteiro Lobato ganhou o nome de seu habitante mais famoso um ano depois da morte do escritor, em 1948. Depois disso, o município se inspirou cada vez mais na obra de Lobato. O escritor começou a carreira na Fazenda Buquira, hoje chamada de Sítio do Pica-pau Amarelo, aberta para visitantes. Em toda a cidade é possível comprar bonecos de pano como a Emília. O turista ainda pode cruzar com a tradição centenária dos Pereirões: uma vez por mês, bonecos gigantes correm atrás de crianças ao som de batuques.

A natureza oferece outras atrações. O Recanto do Sauá é uma reserva ecológica ideal para trilhas. E Lobato pode ter se inspirado na Cachoeira do Zé Maria para descrever, em Reinações de Narizinho, o Reino das Águas Claras: quedas d"água formam uma piscina natural.

Serviço

SECRETARIA DE TURISMO: (12) 3979-1314. SÍTIO DO PICA-PAU AMARELO: (12) 9711-3748, R$ 5 POR PESSOA. É PRECISO AGENDAR ALMOÇO. MAIS INFORMAÇÕES: WWW.MONTEIROLOBATO.SP.GOV.BR

4- O distrito de São Francisco Xavier é um convite para o turista se aventurar nas montanhas no lombo do cavalo e explorar os diversos circuitos de trilhas na Serra da Mantiqueira. Em julho estão programadas cavalgadas infanto-juvenis e gastronômicas.

A cidade é repleta de trilhas. A mais praticada é a da Toca do Muriqui, com três horas de percurso. Quem alcança os quase 2 mil metros de altitude da trilha Pedra da Onça consegue avistar Monte Verde, em Minas Gerais. Mas, se o turista já praticar o montanhismo, vale fazer a trilha da travessia para Monte Verde, com 8 horas de duração e com o nível mais alto de dificuldade. O distrito de São Francisco Xavier também tem grandes corredeiras para a prática de canoagem.

Serviço

CENTRO DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS: (12) 3926-1833. RANCHO SÃO XICO - CAVALGADAS: (12) 3926-1614 / 9703-8064. MAIS INFORMAÇÕES: WWW.SJC.SP.GOV.BR

5 - A 1,5 mil metros acima do nível do mar, a estância climática de São Bento do Sapucaí é o roteiro preferido dos que praticam escaladas. Cercada por montanhas e muito verde, abriga o Complexo do Baú, formado por Pedra do Baú, Bauzinho e Ana Chata, Patrimônio Natural do Brasil. Para alcançar os 2.050 m de altitude da Pedra do Baú é preciso subir os 600 degraus de grampos cravados na pedra. O prêmio para quem chega ao cume é uma vista singular de todo o Vale do Paraíba.

Com pouco mais de 10 mil habitantes, a cidade ainda guarda histórias, folclores e tradições do tempo dos escravos. O bairro do Quilombo é o local mais famoso para isso. Seus artistas fazem desde esculturas de madeira a arte na palha de bananeira.

Serviço

CENTRO DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS: (12) 3971-2453. ASSOCIAÇÃO ARTE & ARTESANATO: (12) 3971 2386. MAIS INFORMAÇÕES: WWW.SAOBENTODOSAPUCAI.SP.GOV.BR

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.