Feriado terá chuva e obras em 3 estradas

Intervenções na Tamoios, Régis e Raposo exigem atenção redobrada de motoristas

José Maria Tomazela e Reginaldo Pupo - Especial para o Estado,

05 de junho de 2012 | 22h30

SÃO PAULO - O motorista que vai pegar estrada neste feriado prolongado de Corpus Christi deve ficar atento: além de previsão de chuva e risco de neblina, há pontos interditados para obras em pelo menos três rodovias - Régis Bittencourt, Raposo Tavares e Tamoios. Outras vias também apresentam problemas de erosão e falta de acostamento.

A Régis Bittencourt tem 11 pontos com interdição parcial de pista - 5 no sentido de Curitiba e 6 no retorno à capital. Todos estão sinalizados, mas é preciso redobrar a atenção sob chuva ou à noite. Na Serra do Cafezal, com pista simples entre o km 338, em Juquitiba, e o km 357, em Miracatu, os acostamentos podem ser liberados ao tráfego, com sinalização. Os picos de tráfego são esperados para esta quarta-feira, 6, das 16h às 23h, e no domingo, das 15h às 22h.

Na Raposo Tavares, há um longo trecho com obras de duplicação entre Araçoiaba da Serra e Sarapuí, na região de Sorocaba. Do km 118 ao 158, há pontos em que o acostamento se transformou em uma vala.

Com a frente fria, o movimento nas estradas em direção ao litoral deve ser menor. Mas o motorista deve ficar atento na Tamoios, no trecho entre São José dos Campos e Paraibuna. O constante trânsito de máquinas e caminhões que estão trabalhando nas obras de duplicação da rodovia no planalto espalha terra na pista, que se transforma em barro escorregadio durante a chuva. Não há placas indicando o risco.

A Padre Manoel da Nóbrega tem um trecho crítico de 40 quilômetros entre Peruíbe e Miracatu, no entroncamento com a Régis. A pista simples está esburacada e, em muitos pontos, é impossível usar o acostamento. Quando chove, o asfalto fica alagado.

Tráfego. Nas principais rodovias do Estado, o maior problema é o excesso de veículos. No Sistema Anhanguera-Bandeirantes, que deve receber 780 mil veículos, está prevista lentidão na saída da capital e na passagem por Campinas, das 16h às 20h desta quarta e entre 9h e 13h de quinta-feira, 7.

O Sistema Castelo-Raposo deve receber 580 mil veículos, 10 mil a mais que em 2011. São esperados congestionamentos das 14h às 22h desta quarta e quinta, das 7h às 15h. Obras foram suspensas até segunda-feira.

A Via Dutra também deve ter trânsito congestionado na saída de São Paulo, entre o km 205 e o km 231, em Guarulhos. São esperados 640 mil veículos de quarta a domingo no corredor d. Pedro I. As obras foram suspensas, mas há risco de neblina. A viagem deve ser evitada entre as 15h e 22h desta quarta e das 7h às 15h de quinta. No retorno, o maior movimento será domingo, das 14h às 22h.

Balsas. A Dersa, que administra o sistema de travessias por balsas no litoral, prevê o trânsito de cerca de 130 mil veículos no feriado. Apesar do mau tempo, a empresa espera aumento de 3% no movimento, em comparação com o mesmo período de 2011. O maior fluxo deve ser na travessia Santos-Guarujá, com 106 mil veículos.

Tudo o que sabemos sobre:
estradarodoviaferiadoCorpus Christi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.