Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Feriado de Nossa Senhora Aparecida leva sete milhões de carros às estradas paulistas

Movimento deverá ser maior do que o feriadão da Independência, quando pouco mais de 5 milhões de veículos circularam pelas rodovias

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2021 | 10h00

SOROCABA - Ao menos 7 milhões de veículos vão pegar as principais estradas de São Paulo durante o fim de semana prolongado pelo feriado de Nossa Senhora Aparecida, na próxima terça-feira, 12. O movimento deverá ser maior do que o feriadão da Independência, quando pouco mais de 5 milhões de carros circularam pelas rodovias.

As estradas começam a ficar cheias a partir das 14 horas desta sexta-feira, 8. Esquemas especiais de atendimento foram montados em vias de acesso ao santuário que, além de turistas em veículos, receberá milhares de peregrinos a pé. A previsão é de que mais de 100 mil pessoas visitem Aparecida durante o feriado.

Principal via de acesso ao Santuário Nacional de Aparecida, maior templo mariano do mundo, a rodovia Dutra receberá mais de 1 milhão de veículos durante o feriado. O movimento maior será entre 19 e 21 horas de sexta e das 7 ao meio-dia de sábado. A concessionária está mobilizando mais de 100 viaturas e 500 profissionais, incluindo médicos e outros profissionais de saúde, para atender usuários e peregrinos. Os agentes ficarão em 11 bases operacionais e em locais estratégicos ao longo da rodovia. Um esquema especial será montado no acesso a Aparecida.

Por também ser rota para a cidade santuário, o corredor Ayrton Senna-Carvalho Pinto deve receber perto de 1,1 milhão de veículos no período. Embora o fluxo de peregrinos seja maior na rodovia Dutra, muitos optam por caminhar pela Ayrton Senna e Carvalho Pinto, por isso a concessionária vai distribuir coletes refletivos para quem estiver na estrada. Equipes vão orientar os romeiros a caminharem em fila indiana, fora do acostamento, atrás das defensas metálicas e no sentido contrário ao fluxo de veículos. A previsão é de picos de tráfego das 15 às 19 horas desta sexta e de 7 ao meio-dia de sábado.

A rodovia D. Pedro I, que liga a região de Campinas ao Vale do Paraíba, também é usada pelos peregrinos de Aparecida. A previsão é de que 750 mil veículos passarão pelo sistema, que inclui outras três rodovias menores. O pico de tráfego acontecerá entre 17 e 21 horas desta sexta-feira.

Em direção às praias da Baixada Santista, há previsão de 250 mil a 380 mil veículos em trânsito pelo Sistema Anchieta-Imigrantes. No período de maior movimento, das 16 horas de sábado às 2 da madrugada de domingo haverá inversão de pistas no trecho de serra – a chamada Operação Descida. Pela Rodovia dos Tamoios, acesso ao litoral norte, devem passar cerca de 100 mil veículos. Nos horários de pico, será liberada pista extra no sentido do litoral.

Para o interior

Já no sentido do interior, o maior movimento está previsto no Sistema Castelo Branco-Raposo Tavares, que deverá receber ao menos 1,7 milhão de veículos, segundo a concessionária. Os horários de pico serão entre 16 e 20 horas nesta sexta e das 7 às 12 no sábado. No domingo e na terça-feira, os caminhões não podem trafegar pela Castello, no sentido da capital, entre as 14 horas e 1 da madrugada seguinte. O motorista em trânsito pela Raposo Tavares deve atentar para estreitamento de pista devido a obras no km 89,6, em Sorocaba.

O Sistema Anhanguera-Bandeirantes receberá 840 mil veículos, segundo previsão da concessionária. Os horários de pico serão nesta sexta, das 16 às 20 horas, e no sábado, das 8 às 12. No domingo e no feriado de terça, caminhões estão proibidos de trafegar no sentido da capital a partir do km 48, em Jundiaí. A partir deste ponto, os veículos de carga devem utilizar a rodovia Anhanguera.

Na Fernão Dias, que liga a capital paulista a Belo Horizonte, o tráfego chegará a 640 mil veículos. O motorista deve evitar os períodos de 14 às 20 horas nesta sexta e das 7 às 12 do sábado. Esses mesmos horários terão trânsito intenso também na Régis Bittencourt, no sentido de São Paulo a Curitiba. São esperados 880 mil veículos na rodovia. Os trechos mais sujeitos a congestionamentos, segundo a concessionária, são do km 269 a 271, em Taboão da Serra; do 279 ao 284 em Embu das Artes; entre o km 339 e o 363, de Juquitiba a Miracatu; do 499 ao 515 em Cajati e do km 541 ao 567 em Barra do Turvo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.