Feriado: chuva reduz movimento em estradas

Saída de SP lembrou a de um fim de semana comum; recomendação hoje é viajar à tarde

CAMILA BRUNELLI, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2012 | 04h19

A chuva fez muitos paulistanos desistirem de viajar ontem. Segundo a Polícia Rodoviária Estadual, o trânsito nas estradas foi o de uma sexta-feira comum, e não o de uma véspera de feriado, quando o movimento nas rodovias aumenta pelo menos 30% - chegando a dobrar nos horários de pico.

Mesmo assim, é bom que os motoristas evitem viajar na manhã de hoje. Concessionárias que administram as estradas paulistas recomendam que o motorista deixe a capital só depois das 13h e monitore a situação pela internet. Por causa do tempo chuvoso e da pista molhada em muitas das rodovias, também orientam os usuários a redobrar a atenção e reduzir a velocidade.

Às 19h de ontem, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou 225 km de lentidão na capital, o dobro da média para o horário. No Sistema Anchieta-Imigrantes, a situação estava complicada na chegada a São Vicente, do km 67 ao km 70 pela Rodovia dos Imigrantes. A operação comboio foi implementada próximo do km 31 da Via Anchieta por causa da neblina.

O tráfego na Rodovia Ayrton Senna era ruim nos dois sentidos. Próximo das 19h, havia 2 km de lentidão no sentido capital e 14 km no sentido interior. A Ecopistas, c que administra o corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto, estima que entre 800 mil e 955 mil veículos utilizariam o sistema durante o feriado.

A Fernão Dias teve uma faixa da pista sentido Minas bloqueada no km 722, em Carmo da Cachoeira (MG), por causa do tombamento de uma carreta. O tráfego seguia com retenção do km 725,5 ao km 722. Também havia retenção do km 480 ao km 477, na região de Contagem (MG), por causa do excesso de veículos. Já no sentido São Paulo, o tráfego estava lento em trecho de 3 quilômetros: dos km 491 ao km 494, na região de Betim (MG). A estimativa é que 140 mil veículos saiam de São Paulo por essa rodovia até hoje à noite.

Quem seguia pela Rodovia dos Bandeirantes no sentido Jundiaí enfrentou trânsito pesado do km 39 ao km 52, e do km 22 ao km 40. Pela Anhanguera, do km 19 ao km 24 e do km 49 ao km 60 o trânsito estava complicado. Até 16h de ontem, segundo a concessionária Autoban, 26 acidentes haviam sido registrados na Bandeirantes, com 2 mortos.

A Rodovia Presidente Dutra tinha 2 quilômetros de trânsito pesado na saída de São Paulo, sentido Rio, no começo da noite. No sentido contrário, eram 3 quilômetros de congestionamento. Já a Castelo Branco tinha tráfego lento entre os km 19 e 24 e entre os km 13 e 15. A CCR ViaOeste estima que mais de 580 mil veículos circulem pelos dois sentidos do Sistema Castelo-Raposo até domingo.

Na maioria das estradas, por volta da 0h, não havia mais pontos de lentidão.

Acidentes. Três pessoas morreram em um acidente na Régis Bittencourt, no Vale do Ribeira, na manhã de ontem, de acordo com a Autopista. Uma ambulância da concessionária fazia atendimento a outro carro que também sofreu um acidente, quando foi atingida na traseira por um Corolla, que rodou na pista, por volta das 9h. A ambulância e o outro carro acidentado estavam no acostamento. Segundo a Autopista, os três passageiros do Corolla morreram no local.

Em Belo Horizonte, três pessoas morreram ontem e três ficaram feridas wusnfo uma carreta desgovernada de Guarulhos, carregada com boninas de aço, atingiu vários carros na Avenida Nossa Senhora do Carmo. / COLABOROU MARCELO PORTELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.