Feira gastronômica tem fila de até 40 minutos

No lugar de carros, manobristas e várias chaves empilhadas, comidas do mundo inteiro, chefs de cozinha e uma fila de amantes da gastronomia. Na tarde de ontem, um estacionamento da Vila Madalena, na zona oeste, se transformou em Feirinha Gastronômica e atraiu milhares de paulistanos.

O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2013 | 02h03

O evento é um desdobramento do Chefs na Rua, que aconteceu no aniversário de São Paulo, em janeiro, e está marcado para todo domingo - cada semana com participantes diferentes.

Ontem, na primeira edição da feira, a fila para entrar era longa. Segundo relatos de quem estava por ali, a espera chegava a 40 minutos. Mas nada que desanimasse a blogueira de gastronomia Muriel Valencia, de 31 anos.

Peruana, ela conta que fez questão de ir a todas as feiras que aconteceram na cidade desde a Virada Cultural de 2012. "No Peru, é mais fácil encontrar comida de qualidade sendo vendida na rua. Essas feiras são a minha chance de matar as saudades", disse.

Segundo o produtor Maurício Schuartz, um dos organizadores, apenas 230 pessoas podiam permanecer do lado de dentro por vez. "Não colocamos cadeiras e não vendemos bebidas alcoólicas. A ideia é que funcione como feira, que as pessoas circulem", afirmou.

Para a chef Daniela Narciso, um dos diferenciais dessa edição era a venda de comidinhas que poderiam também ser levadas para casa, como terrines, chilli e brownies. Lica Siviero levou as geleias para vender na feira. "É uma maneira bacana de divulgar o produto para um público especial", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.