Feira Cultural antecede Parada Gay e movimenta São Paulo

Feira acontece no Vale do Anhangabaú hoje; no sábado, é dia do Gay Day no Playcenter

Marcela Spinosa, Jornal da Tarde

11 Junho 2009 | 13h27

A semana da diversidade sexual será aberta nesta quinta-feira, 11, com a 9ª edição da Feira Cultural LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros) no Vale do Anhangabaú, das 10 às 22 horas. O evento que antecede a Parada Gay, que acontece no domingo, 14, tem novidades este ano. Uma delas é Palco Pocket, onde artistas vão se apresentar sob o comando da drag queen Sissi Girl.

 

Outra novidade é o 1º Festival da Diversidade na Música (Flash). Em um palco, nove bandas e artistas trarão ao público nomes de destaques no cenário underground nacional e internacional.

 

A feira contará ainda com intervenções teatrais e 120 tendas de moda, design, literatura, alimentação, informações e oficinas gratuitas. Além da feira, acontecerá no sábado a 7ª Caminhada das Lésbicas, com concentração às 13 horas na Praça Oswaldo Cruz, na Avenida Paulista, e o Gay Day, das 11 às 21 horas no Playcenter.

 

Hotel Gay Friendly

 

O público GLS poderá se hospedar a partir do fim do mês no 155 Hotel, na Rua Martinho Prado, 173, na Bela Vista. "Temos orgulho em dizer que é o primeiro hotel ‘gay friendly’ da cidade", diz Sérgio Luiz Pereira, dono do empreendimento, que garante que qualquer pessoa, gay ou não, poderá se hospedar nele. Com investimento de R$ 6 milhões, o hotel pode receber até 200 hóspedes. A diária para casal custa R$ 95.

 

O proprietário conta que optou por abrir um hotel voltado para o público GLS por sentir que há uma carência neste tipo de serviço na cidade. "O gay não quer chegar em um hotel e ver que em seu quarto há duas camas de solteiro sendo que ele havia reservado um (quarto) com cama de casal. Aqui (155 Hotel) ele não passará por essa situação", garante.

 

Para evitar sorrisos irônicos, palavras preconceituosas ou reações que deixem o casal homossexual em situação constrangedora, os 70 funcionários do hotel foram treinados para lidar com o público GLS, incluindo o conciérge, que é homossexual.

 

Com um investimento de R$ 6 milhões e assinatura do arquiteto Nelson Presbiteri, o 155 Hotel terá uma decoração sofisticada nas cores branco e preto com grandes quadros que reproduzem monumentos importantes da cidade, como o Edifício Copan, no centro.

 

Domingo

 

No domingo, os trios atravessarão a Paulista na contramão até a esquina com a Consolação, por conta das obras da Linha Amarela do Metrô. A partir daí, seguem na pista da direita até a Roosevelt. A CET interditará quatro vias e proibirá o estacionamento em outras quatro. Os bloqueios começam às 10 horas e, em algumas ruas, só serão liberados às 21 horas.

 

A primeira interdição vai das 10 horas às 11h30 nos dois sentidos da Paulista, entre a Alameda Joaquim Eugênio de Lima e a Rua Peixoto Gomide. Em seguida, será interditado o trecho até a Consolação. A partir do meio-dia haverá interdições na Rua Rego Freitas e na Avenida Ipiranga. Será proibido estacionar na Alameda Santos e no corredor composto pelas vias Cincinato Braga, São Carlos do Pinhal e Antônio Carlos. A Avenida Angélica e a Ligação Leste-Oeste são as opções à Consolação. A SPtrans vai alterar o itinerário de 55 linhas de ônibus. Mais informações pelo site da SPTrans. www.sptrans.com.br.

Mais conteúdo sobre:
Parada Gay São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.