Fazer BO ainda leva mais que os 20 minutos prometidos

Mesmo com novo serviço, espera continua acima da meta na capital; para flagrantes, tempo caiu de 4 horas para 1h20

Luísa Alcalde, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2011 | 00h00

Quase um mês após o novo método de atendimento ao público ter sido implantado em metade das delegacias da capital, o tempo de espera pelo registro de ocorrências policiais ainda não está dentro do esperado, que era de até 20 minutos.

Embora tenha diminuído bastante - a espera chegava a quatro horas -, paulistanos que registraram boletins de ocorrência em distritos da zona leste e norte entre os dias 4 e 28 de julho aguardaram, em média, de 15 a 25 minutos para conseguir o documento. "Mas, dependendo da delegacia, também há pessoas que são atendidas em até 7 minutos", afirma o delegado Pablo Rodrigo França, coordenador técnico do Grupo de Projetos do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap).

Para flagrantes, a espera baixou de quatro horas, em média, para uma hora e 20 minutos. Nos primeiros 24 dias, o Serviço de Atendimento ao Cidadão (o SAC das delegacias), serviço criado para receber reclamações, registrou 148 contatos telefônicos e mensagens enviadas por e-mail ou fax. Foram 37 reclamações, 29 elogios, 78 pedidos de informações e quatro denúncias.

A maior parte dos contatos foi feita por telefone. Chamados anônimos foram minoria nos primeiros dez dias de serviço. Entre as reclamações há também queixas relativas "a ramos externos da atividade policial imediata", como casos de Direito do Consumidor e demora na espera para o BO superior a 20 minutos.

Em todos os contatos com o SAC houve a formalização de um protocolo. "O tempo de solução depende da natureza da informação. Por exemplo: telefones de distritos policiais ou denúncia de crime", relata França.

Para o delegado, apesar de terem ocorrido três meses de palestras e reuniões para tirar dúvidas, as pessoas ainda não se acostumaram com o serviço. "É a ruptura de estrutura policial que trabalhou do jeito antigo por 40 anos. Reclamações e equívocos tendem a cair."

PARA ENTENDER

Em julho, metade das 93 delegacias da capital passou a funcionar com nova estrutura para acelerar atendimento e melhorar investigações. Foi lançado telefone para reclamações: (11) 3815-5446.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.