Famosos doam peças para leilão

Até Mick Jagger já mandou uma guitarra para ajudar projeto de alfabetização em Paraisópolis

Chris Mello, O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2010 | 00h00

O terno azul-marinho usado por Lula na posse de 2003 vai a leilão amanhã em benefício do projeto de alfabetização Escola do Povo da Favela de Paraisópolis. Lance mínimo? R$ 100 mil. Desenhado pelo estilista Ricardo Almeida, o terno foi doado pelo presidente para ajudar o cabeleireiro Wanderley Nunes a conseguir levantar os R$ 3,8 milhões necessários para a União de Moradores da Comunidade alfabetizar 12 mil pessoas por meio do projeto Escola do Povo.

Segundo cadastro da Secretaria de Habitação da Prefeitura, em 2005 Paraisópolis tinha 15 mil analfabetos. "Formamos 3 mil deles desde 2005 usando o método Paulo Freire. Faltam 12 mil, mas, por falta de verba, em 2010 não tivemos turmas", conta Gilson Fernandes, presidente da União e da Escola do Povo. O projeto precisa de R$ 258 por semestre para ensinar uma pessoa a ler e escrever.

Wanderley comprou o drama da comunidade e criou o 1º Leilão das Celebridades após ser procurado por um empresário para ajudar a montar um curso profissionalizante. No meio do processo, o empresário desistiu. "Segui em frente, porque morei na Rocinha nos anos 80 e queria fazer um projeto de empoderamento para Paraisópolis, uma comunidade com a qual tenho proximidade - moradores de lá trabalham comigo", explica. "Visitando Paraisópolis entendi que, antes de curso profissionalizante, tem de ser feito um trabalho de base", completa o cabeleireiro, enquanto leva a reportagem para conhecer no Grotão, lugar mais carente da favela, a Casa da Amizade - que hospedará a primeira turma. "Isso vai ajudar também a diminuir a violência."

Há três meses, três assistentes e Maria Inês Menezes, mulher do técnico da seleção, acotovelam-se nas bancadas em que Wanderley atende as clientes, telefonando para amigos e clientes pop para conseguir doações. Faustão foi o primeiro a contribuir com dois relógios. Mick Jagger mandou, por meio de Luciana Gimenez, uma guitarra. "Bono Vox mandou um boné, o guitarrista dos Scorpions, uma guitarra", empolga-se Wanderley, que emenda: "Carlos Alberto de Nóbrega vai doar, no ar, o banco de A Praça é Nossa." O prefeito Gilberto Kassab e o ator Fábio Assunção mandaram quadros para o pregão. A ex-prefeita Marta Suplicy, um vestido. Wanderley, que é pai do piloto de Fórmula GP-3 Pedro Nunes, ainda conseguiu capacetes de Felipe Massa, Jason Button, Hélio Castro Neves, Fittipaldi. Dos boleiros, Alexandre Pato, Ronaldo e Pelé mandaram camisetas e Kaká, seu uniforme da seleção. Gisele Bündchen mandou um vestido. Rodrigo Santoro mandou uma camisa.

Serviço

NO WWW.DUTRALEILÕES.COM.BR É POSSÍVEL DAR LANCES. O LEILÃO SERÁ AMANHÃ NO BUDDHA BAR (AV. CHEDID JAFFET, 131, VILA OLÍMPIA)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.