Famílias de vítimas do voo 447 querem apoio do MP

Um ano e meio depois do acidente com o voo 447 da Air France - que saiu do Rio rumo a Paris e caiu no Oceano Atlântico, matando 228 pessoas -, o presidente da Associação das Famílias das Vítimas, Nelson Marinho, tenta obter garantias de que as investigações serão acompanhadas pelo Ministério Público Federal. No dia 16, Marinho se reúne com o procurador da República, Anderson dos Santos, e o especialista em comunicação aérea Sérgio Martins.

, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2010 | 00h00

Ele tenta fazer agora que a Justiça dos Estados Unidos também se envolva no processo, uma vez que várias peças da aeronave foram fabricadas nos EUA. No dia 19, autoridades do governo francês e da Air France vão reunir-se com representantes do Ministério Público brasileiro, da Aeronáutica e da Polícia Federal, na França. A associação das famílias não foi convidada.

Marinho reiterou que haverá uma campanha intensa para a retomada das buscas dos destroços do A330. As caixas-pretas nunca foram achadas. A falha nas sondas pitots pode ter sido uma das causas do acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.