Famílias criticam menção a piloto e destacam sondas

O presidente da Associação de Parentes das Vítimas do Voo 447 da Air France, Nelson Faria Marinho, criticou no Rio o relatório francês. "Isso é uma forma de testar a opinião pública para ver se a tese de falha humana é aceita. Nas aeronaves atuais, o piloto não faz nada além de decolar e aterrissar. Todo o efeito dominó, que resultou na queda do avião, começou com o congelamento das sondas pitots, o que inviabilizou a leitura de velocidade e desativou o piloto automático", afirmou Marinho. Segundo ele, a opinião é compartilhada pela associação alemã de parentes.

Andrei Netto e Pedro Dantas, O Estado de S.Paulo

30 Julho 2011 | 00h00

Na França, a atenção dada ao suposto erro dos pilotos também não fez esquecer as falhas eletrônicas do avião. "O problema parece ter se deslocado para a reação dos pilotos e unicamente para suas atitudes", lamentou Robert Soulas, presidente da associação Ajuda Mútua e Solidariedade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.