J. Duran Machfee/Estadão Conteúdo
J. Duran Machfee/Estadão Conteúdo

Familiares e amigos de ciclista assassinada protestam na Paulista

Consuelita Freitas pedalava na Rodovia Fernão Dias com o marido, quando foi baleada e morta com um tiro no peito durante assalto

O Estado de S. Paulo

26 Julho 2015 | 15h24

SÃO PAULO - Familiares e amigos prestaram homenagens neste domingo, 26, à ciclista Consuelita Rosário da Silva Freitas, assassinada na Rodovia Fernão Dias, em Guarulhos, na Grande São Paulo, há uma semana. Batizado de "PedaLita", o evento que também é um protesto para pedir mais segurança começou na Praça do Ciclista, na Avenida Paulista, às 10 horas.

O destino previsto era o Parque Tiquatira, na Penha, zona leste da capital, onde ocorreriam homenagens. A Polícia Militar não informou o número de participantes. 

Consuelita, de 43 anos, pedalava no quilômetro 87 da Rodovia com o marido, quando foi baleada e morta com um tiro no peito durante um assalto. Ele foi atingido de raspão por um disparo, mas sobreviveu. Segundo a polícia, os criminosos surgiram de um dos acostamentos da pista e as vítimas não reagiram ao assalto. 

Na última quarta-feira, 22, dois suspeitos de matar a ciclista foram presos.  Segundo investigações, Igor Tenório dos Santos e Leonardo da Silva Souza, ambos de 19 anos, são responsáveis pelo assassinato.

Os dois foram presos nas proximidades da favela Vila São Rafael, em Guarulhos, onde moram. Os policiais do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra), da Seccional de Guarulhos, chegaram até os suspeitos após o marido da vítima, Leonardo Ferreira de Freitas, de 46 anos, fazer reconhecimento fotográfico.

A prisão temporária de 30 dias da dupla foi decretada na terça-feira, 21. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), Santos e Souza ainda vão passar por exame de corpo de delito e serão ouvidos formalmente. Eles ficarão detidos na carceragem do 1º Ditrito Policial (Centro) de Guarulhos. Agora, os policiais tentam recuperar as bicicletas roubadas e apreender a arma utilizada no crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.