Família denuncia estupro de menina mas suspeito é liberado

Acompanhado por dois advogados e familiares, suspeito foi solto por volta das 2 horas de sexta-feira

AE, EFE

12 de outubro de 2007 | 06h42

Uma menina de 9 anos contou à mãe que foi violentada mais de uma vez por um homem, no bairro de Capão Redondo, zona sul da capital. A mãe chamou a polícia e o suspeito foi detido na tarde de quinta-feira. Segundo ela, acompanhado por dois advogados e familiares, ele foi liberado, por volta das 2 horas da madrugada desta sexta-feira, enquanto a criança era submetida a exames no Hospital Pérola Byington. "A gente fica revoltada com uma coisa dessas - afirma a mãe - pois minha filha nunca mais será a mesma". Ela conta que, há cerca de duas semanas, mandou a criança comprar alface na horta do suspeito, de cerca de 38 anos.  A garotinha demorou e voltou afirmando que não havia a verdura. A partir daí ela começou a ter um comportamento considerado estranho. "Toda vez em que eu pedia que fosse à horta ela ficava nervosa e até pediu a uma amiguinha que fosse com ela", afirma. Na quinta-feira, finalmente, ela criou coragem e revelou à mãe o motivo de seu nervosismo: o dono da horta havia tampado sua boca, com a mão, para que não gritasse, e abusado sexualmente dela de formas variadas. "Levei minha filha ao Hospital de Campo Limpo e a médica constatou que o estupro foi consumado mesmo, na frente e atrás", lamenta a mãe.  A menina tem um machucado no braço que a mãe suspeita ser uma das provas de que o homem forçou a garotinha a fazer sexo com ele. A revolta dos familiares foi pelo fato do suspeito ter sido liberado e sair sorrindo da delegacia. "O delegado disse que não tenho provas de que quem violentou minha filha é ele. Mas eu respondi que minha filha nunca mentiu para mim. Só não contou antes porque ele disse que se contasse, seria morta", contesta a mãe.  Um dos irmãos da dona de casa conta que tentou bater no suspeito, quando saia livre da delegacia e familiares dele o agrediram e chegaram a rasgar sua roupa. "Depois de me baterem, ele subiu numa moto e foi embora sorrindo" afirmou, revoltado.

Tudo o que sabemos sobre:
Capão Redondoviolência sexual

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.