Família de jornalista argentino soube de morte por redes sociais

Verónica Brunati, viúva de 'Topo' López, foi informada do acidente após tuíte de Diego Simeone. Já mãe e sogra viram no Facebook

Ariel Palacios, Correspondente de O Estado de S. Paulo

09 Julho 2014 | 15h06

BUENOS AIRES - A notícia da morte do argentino Jorge "Topo" López em Guarulhos, na Grande São Paulo, em um acidente de automóvel gerou grande impacto no âmbito jornalístico e esportivo em Buenos Aires nesta quarta-feira, 9. A mulher do jornalista esportivo, Verónica Brunati, foi informada da morte de seu marido ao ler uma mensagem postada pelo ex-jogador e atual técnico do Atlético de Madrid, Diego Simeone, que, ao saber do acidente, publicou no Twitter a frase: "Não somente foi embora um grande jornalista mas também um amigo. Muita dor. Minhas condolências a @verobrunati e família. RIP, Jorge 'Topo' López".

A mãe e a sogra do jornalista argentino também souberam pelas redes sociais ao ler no Facebook sobre a morte de López. O argentino, de 38 anos, que trabalhava para o jornal esportivo Olé e para a Rádio La Red. 

Ele era considerado um dos principais especialistas sobre o jogador Lionel Messi. 

O jornal Olé estampou nesta quarta-feira em sua edição online a manchete "Todos nós choramos". Segundo o Olé , "o jornalismo inteiro está de luto" na Argentina.

López aparece em uma cena do recentemente lançado filme "Messi", no qual o jornalista argentino aparece ao lado de outros colegas espanhóis e comenta sobre o impacto do jogador do Barcelona. "Dava para ver que era um jogador impressionante, fenomenal", disse o jornalista. 

A morte do jornalista ocorreu no mesmo dia em que seu filho Martín completava cinco anos. 

No dia 2 de julho, outra jornalista argentina morreu em um acidente de trânsito no Brasil, María Soledad Fernández, de 26 anos, produtora de um programa esportivo. O acidente ocorreu na Rodovia Fernão Dias, quando a jovem viajava de São Paulo a Belo Horizonte.

Em ambos os casos - no de López e María -, os jornalistas viajavam sem o cinto de segurança, algo frequente nas ruas e estradas argentinas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.