Família de estudante morto em roleta russa ganha indenização

Adolescente de 13 anos foi baleado dentro da escola, 20 minutos antes do início das aulas; Estado deverá pagar R$ 70 mil

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

06 Maio 2015 | 19h15

SOROCABA - O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou o Estado a pagar indenização de R$ 70 mil à família de um estudante de 13 anos morto quando brincava de roleta russa no interior de uma escola estadual, em Jundiaí, interior de São Paulo. O TJ acatou a tese do advogado da família de que o desfecho trágico foi favorecido pela falta de segurança na escola, o que seria uma obrigação do Estado.

A morte ocorreu em 2006. De acordo com a decisão publicada na terça-feira, 5, o adolescente Brunno Lourenço dos Santos Lima estava na quadra esportiva da Escola Estadual Deolinda Copelli de Souza Lima com as garotas I.C.S.C, de 15 anos, e E.M., de 14, quando decidiram brincar com um revólver carregado com uma bala. A arma tinha sido levada por I., que girou o tambor e disparou, atingindo a cabeça do garoto. As meninas, que não estudavam na escola, fugiram.

O disparo aconteceu quando faltavam 20 minutos para o início das aulas. Na defesa, o Estado alegou que a segurança da escola era feita por sete contratados, mas eles não poderiam ter previsto o incidente. O TJ entendeu que, se tivessem exercido a vigilância esperada, esses mesmos seguranças deveriam ter impedido o acesso de pessoas portando arma na escola. A Procuradoria Geral do Estado informou que vai entrar com recurso.

Mais conteúdo sobre:
São Pauloroleta russa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.