Família de desaparecido no Peru oferece recompensa

Por recomendação policial, a família do brasiliense Artur Paschoali, de 19 anos, desaparecido no Peru desde 21 de dezembro, está oferecendo recompensa entre R$ 200 e R$ 400 a quem der alguma informação que permita localizar o rapaz.

VANNILDO MENDES / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2013 | 02h04

"Não há um valor estipulado, até porque não somos ricos. Mas a tática é válida para alcançar o máximo de colaboração e alguma pista nova. A região é perigosa e as pessoas são em geral carentes e fechadas", explicou Susana Paschoali, mãe de Arthur.

Desde o último dia 2, ela e o marido, Wanderlan Vieira, estão na cidade de Santa Teresa, onde o rapaz trabalhava havia três meses na região turística de Machu Picchu. A notícia da recompensa foi difundida por emissoras de rádio e redes sociais, mas ainda não surtiu efeito, aumentando a frustração dos familiares.

O Itamaraty designou um diplomata da embaixada brasileira em Lima para acompanhar as buscas com a família. A busca é feita na montanha por quatro equipes. A partir de agora, eles vão estender a área de varredura para a região de Chiabamba, que dá acesso a Cusco apenas por terra.

O jovem desapareceu há 19 dias quando teria saído supostamente para tirar fotos de Machu Picchu, seguindo a trilha do Caminho Inca, que dá acesso à histórica cidade.

A mãe dele desconfia dessa versão porque o filho era precavido quando se tratava de ir a campo. O mais estranho, segundo ela, é que Artur saiu do alojamento onde vivia, no sótão do restaurante do hotel onde trabalhava, apenas com a máquina fotográfica e sem qualquer equipamento de fazer trilha. "Até agora, não encontramos nenhum vestígio dele nos lugares onde se supunha que ele passou", disse Suzana ao Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.