Faltam vagas

Meu filho, E. L. S., de 4 anos, está cadastrado desde o dia 17/3 no Centro de Educação Infantil (CEI) Pedro Henrique Siqueira Lima, na Capela do Socorro. Durante o ano procurei várias vezes o CEI para saber sobre a situação da matrícula, recebendo sempre a mesma informação, de que deveria aguardar um chamado da escola, mas até hoje não recebi resposta. Meu filho deveria estar frequentando a escola!

, O Estado de S.Paulo

25 Dezembro 2010 | 00h00

ANA LÚCIA LIMA / SÃO PAULO

A Diretoria Regional de Educação de Capela do Socorro informa que E. L. S. está inscrito desde março de 2010 e aguarda vaga no setor Grajaú 4. As crianças são chamadas para atendimento conforme ordem numérica de cadastro, observada a correta acomodação nos agrupamentos ou estágios. Os responsáveis poderão consultar a situação por meio do Portal da Educação (http://www.portalsme.prefeitura.sp.gov.br) ou por listagem afixada em qualquer escola do mesmo distrito/setor. A informatização da lista é um instrumento adicional de transparência criado por esta gestão, que objetiva informar quantas crianças aguardam atendimento e permite aos pais acompanhar o andamento de sua solicitação de vaga.

A leitora lamenta: Agradeço à pronta resposta, entretanto, informo que, após consultar o portal indicado pela Prefeitura, constatei que meu filho se encontra em 67.º lugar na lista de espera, apesar de estar inscrito há cerca de um ano. Para piorar a situação, constatei que existem crianças inscritas desde o início de 2009 e que ainda não conseguiram vaga, o que me deixa bastante preocupada a respeito da possibilidade de conseguir ainda em 2011 matricular meu filho na escola.

INDIGNAÇÃO

Situações recorrentes

A administração desta cidade é realmente peculiar. Sou obrigado a sair cedo de casa e retornar tarde em dia de rodízio, pago IPVA, sou multado pela indústria da multa e não tenho o mínimo retorno. Além de todos esses encargos, tenho de pagar seguro obrigatório, apesar de ter seguro privado, pois não confio no oficial. Depois tiveram a brilhante ideia de instituir a inspeção veicular, o que é questionável, pois os veículos antigos não passam por vistoria. O que mais me deixa indignado é que há buracos por todo o lado e algumas avenidas têm mais radares do que fiscais da CET. Eles parecem ter a função de apenas multar os motoristas em dia de rodízio. Só são vistos das 7 até as 20 horas. Após esse horário, os caminhões circulam pelas 3 pistas das marginais e cometem outras infrações. As chuvas nem bem começaram e já há pontos de alagamento em vários trechos da cidade. O que vão dizer? "O volume das chuvas está acima do previsto." Está difícil sobreviver em São Paulo. É muita incompetência para sanar problemas tão antigos e conhecidos.

RENATO CAMARGO / SÃO PAULO

O Departamento de Imprensa da CET ressalta que a companhia foi criada com o objetivo de gerir a operação do sistema viário, com o fim de garantir a segurança e a fluidez do trânsito, e que a função original do agente da CET nunca foi multar. Sua principal atividade sempre foi a orientar o trânsito. A atual gestão da Secretaria Municipal de Transportes(SMT) tem investido na expansão da estrutura de equipamentos eletrônicos de fiscalização, exatamente para liberar os agentes da CET para outras tarefas importantes. A SMT reafirma que todo o valor arrecadado com multas é incluído no Fundo Municipal de Desenvolvimento do Trânsito e aplicado em melhorias do trânsito.

A Secretaria do Verde e Meio Ambiente esclarece que o Programa de Inspeção Veicular Ambiental tem como objetivo minimizar as emissões de poluentes pelos veículos registrados na cidade, buscando estimular seus proprietários a fazerem a manutenção adequada e manter as emissões de seus veículos dentro dos padrões recomendados pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente.

CAOS NO RIO

Webjet indiferente

No dia 25/11 eu ia pegar o voo 6760 de Santos-Dumont (RJ) para Guarulhos (SP). Mas as guerrilhas entre o tráfico e a polícia no Rio causaram sérios danos ao trânsito. Cheguei no aeroporto por volta de 9h10 (25 minutos antes da partida), mas funcionários da Webjet não me deixaram fazer o check-in, assim como outros 11 passageiros. O gerente disse que poderíamos reagendar na própria companhia, mas a remarcação envolvia uma multa de R$ 110 mais R$ 65. Todos os 12 passageiros fizeram questão de comprar passagem em outras companhias. Quero uma posição da Webjet e ser ressarcido.

RICARDO CHUT / SÃO PAULO

A Webjet não respondeu.

O leitor diz: Nada foi feito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.