Faltam vagas e explicação

CONTRADIÇÃO - FECHAMENTO DE CRECHES

O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2012 | 02h01

Reclamo do cancelamento do convênio de funcionamento da Creche Nossa Senhora do Carmo, na Vila Alpina. A Regional de Educação está cancelando o convênio com a Prefeitura, mas não se sabe direito o motivo ou, pelo menos, não quiseram informar os pais. Desta forma, as crianças serão realocadas para outras unidades, o que acho um absurdo, pois essa creche foi projetada para funcionar como tal, tem área verde e está com a documentação em dia.

MAURICIO MENDES / SÃO PAULO

A Secretaria Municipal de Educação relata que a Diretoria Regional de Educação Ipiranga informou que o convênio com o Centro de Assistência Social e Promoção de Vila Alpina, que se encerrará em 31/12, não poderá ser renovado por problemas de documentação da entidade, já que a Secretaria é muito rigorosa com as unidades conveniadas. As crianças dessas creches têm vaga garantida na Rede Municipal de Ensino. Além dos CEIs Mary Anne e Nossa Senhora do Carmo, há outras 6 unidades nesse setor. No ano letivo de 2013, serão encaminhadas, de acordo com o endereço das famílias, para creches do mesmo setor. Os responsáveis serão devidamente comunicados.

O leitor diz: Houve falta de documentação, mas a situação agora está regularizada, e a Secretaria se recusa a analisar os documentos. Além disso, na cidade de São Paulo faltam vagas nas creches - o tempo médio de espera para uma vaga é de 1 ano e 2 meses. Os CEIs Nossa Senhora do Carmo e Mary Anne juntos comportam cerca de 450 crianças. Agora vão enviá-las a 6 creches, que são casas pequenas adaptadas. Onde está o respeito ao vínculo entre as crianças e os funcionários dos CEIs?

NET - VALOR MAIS BAIXO

Só para novos assinantes

Quando, pelo código 10621, troquei um pacote de TV a cabo da NET por outro mais completo, a fatura passou de R$ 113 para R$ 189,80. Mas, pelo mesmo pacote, a operadora cobra de novos clientes R$ 139,60, isso sem considerar o desconto dado nos primeiros meses. Quando falei que iria cancelar o contrato e solicitar outro serviço, o atendente informou que, após o cancelamento, eu só poderia solicitar esse serviço para o mesmo endereço após 6 meses! A NET, autorizada a quebrar toda a cidade para a instalação dos seus cabos, sabe-se lá a que preço, agora fideliza seus clientes com preços abusivos e diferenciados, a meu ver ferindo o Código de Defesa do Consumidor. Duvido que, em outros países, tenham coragem de assim agir. Espero que a Anatel e o Procon tomem providências para acabar com isso.

SILVIO DE CARVALHO SOARES

/ SÃO PAULO

A NET esclarece que o caso foi solucionado.

O leitor diz: Após a denúncia, estabeleceram minha tarifa conforme a dos novos assinantes.

'PARQUE DA CIDADE'

Sujeira atrás de tapume

No cruzamento da Rua Engenheiro Mesquita Sampaio com a Marginal do Pinheiros está sendo construído pela empresa Odebrecht um megaempreendimento denominado Parque da Cidade (que de parque não tem nada). Além do trânsito caótico da região provocado pelos caminhões com terra, barulho constante de máquinas a qualquer horário, sujeira, pó, etc., agora há diversos buracos. Eles foram feitos pela construtora para a retirada da fundação de parte de uma antiga fábrica. Com as chuvas, formam-se no terreno verdadeiras "lagoas de água parada e suja", que, além do mau cheiro, podem ser hospedeiras do mosquito da dengue. De que adianta a Prefeitura gastar dinheiro do contribuinte com ligações para as residências informando sobre a dengue, se ela não fiscaliza? Não seria mais proveitoso investir esse dinheiro na fiscalização dos terrenos abandonados ou em construção que representam potenciais locais de procriação do mosquito da dengue?

ANDRÉ LUÍS EGREGGIO

/ SÃO PAULO

A Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental informa que agentes de zoonoses da Suvis Santo Amaro/ Cidade Ademar estiveram no local em 27/11. Foi observado um local plano, sem edificações, só fundação. Não foram constatados os buracos citados na denúncia, apenas poças d'água rasas e recentes, afinal, havia chovido muito na parte da manhã. Ressalta que o mosquito aedes aegypti não se procria em água suja.

O leitor revela: Não sou técnico sanitário para avaliar o local, mas, mesmo sem risco de mosquito, a área pelo menos deve ser limpa. Espero que quem esteve lá tenha entrado na área que fica atrás dos tapumes que protegem o estande de vendas, já que na parte da frente o local está lindo. Mas atrás está muito sujo e com água parada, na cor esverdeada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.