Falta de incoerência

Patria o muerte

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

08 Março 2013 | 02h06

Tem pichação nova nas ruas de Havana, em Cuba: 'Chávez vive! (Fidel también)'

Luto

Para se ter uma ideia de quanto o assassinato de Eliza Samudio contrariou na época o goleiro Bruno, um dia após ser notificado da morte dela, o ex-atleta do Flamengo foi a uma festa na casa do Vagner Love. Ou seja, precisou de um bunga-bunga pra sair daquela tristeza toda!

Fechou o tempo

Na tentativa de acalmar a Mancha Verde, a diretoria do Palmeiras deve lançar nos próximos dias a campanha 'Homem de verdade não bate em jogador nosso'. Antes que a Conmebol mande fechar os portões dos aeroportos aos torcedores do clube em dias de viagem da delegação para jogos da Libertadores. Ontem, na volta de Buenos Aires, o time derrotado pelo Tigre foi emboscado pela própria torcida na área de embarque. O goleiro Fernando Prass saiu ferido do tumulto!

Tudo às claras

É nisso que dá ser transparente: por causa de um e-mail que não escondeu de ninguém, convidando sua turma a participar do chamado "golpe da pirâmide", o delegado Luiz Carlos de Carvalho Cruz foi exonerado do cargo de diretor de Operações da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos. Da próxima vez, ele não abre o jogo pra ninguém!

Preto bolivariano

Uma coisa ficou bem nítida no velório de Hugo Chávez: o vice venezuelano Nicolás Maduro e o presidente boliviano Evo Morales estão usando a mesma tintura de cabelo!

Não dá para entender a escolha de Romário para a presidência da Comissão de Desporto da Câmara dos Deputados! Sendo ele um nome identificado com o assunto, francamente, desde quando este tipo de lógica politicamente correta credencia alguém a funções de comando no parlamento?

A praxe no Congresso é justamente o contrário: quanto maior o desapreço do político pelo tema legislativo em discussão nesta ou naquela comissão, maiores são suas chances de dirigir os debates a respeito.

Blairo Maggi, por exemplo, fez por merecer a presidência da Comissão do Meio Ambiente depois que o Greenpeace lhe agraciou com o prêmio Motosserra de Ouro "por sua imensa contribuição para a destruição da Amazônia".

Para se eleger ontem presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, o deputado-pastor Marco Feliciano precisou pregar abertamente - e de forma inequívoca - princípios racistas e homofóbicos.

Ora bolas: se Romário nunca foi contra a prática de esportes, por que diabos vai agora presidir a Comissão de Desporto da Câmara?

Por essas e por outras, crescem as manifestações pelo impeachment do presidente do Congresso. Fora, Renan Calheiros!

Acorda,

Felipão!

Nem Kaká, nem Ronaldinho Gaúcho! Se só tem vaga para um "velhinho" na seleção, o cara do momento é o Zé Roberto, do Grêmio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.