Falta de assentos faz pais gastarem três vezes mais

A nova regra começa a valer hoje, mas os dispositivos exigidos na resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) continuam em falta. No sábado, o Estado mostrou que os assentos de elevação, os chamados boosters, desapareceram das lojas de São Paulo. Ontem, outras sete lojas da cidade, de diferentes regiões, foram visitadas. E nenhuma possuía o dispositivo. "Temos todos os outros no estoque, mas o booster está em falta. E as fábricas não têm previsão de entrega", contou Gisele Dib, proprietária da Bebê Mix.

, O Estado de S.Paulo

01 Setembro 2010 | 00h00

O booster deve ser utilizado por crianças entre 4 anos e 7 e meio. Outra opção para os pais é comprar um tipo de poltrona, que custa cerca de três vezes mais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.