Falha técnica para Linha 3 do Metrô e causa confusão na hora do almoço

Uma falha elétrica em um trem na Estação Sé causou tumulto e atrasos na Linha 3-Vermelha do Metrô de São Paulo ontem à tarde. O problema envolveu uma composição da frota K, que entrou em operação há menos de três meses, após ser reformada. Passageiros do último vagão tiveram de andar na passarela de emergência para alcançar a plataforma, pois o trem não chegou ao fim da estação.

Caio do Valle e Camilla Haddad, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2011 | 00h00

A composição foi a mesma na qual o governador Geraldo Alckmin (PSDB) embarcou e andou em junho, depois de uma cerimônia para a entrega dos primeiros dois trens modernizados do Metrô. A pane aconteceu às 12h36 e o sistema só começou a ser normalizado às 13h02. Entretanto, ainda havia transtornos no sistema por volta das 14h, por causa do acúmulo de passageiros em estações, sobretudo na Anhangabaú e na Palmeiras-Barra Funda, onde houve retenção na entrada e as pessoas só encontravam uma catraca aberta. Trata-se da segunda falha a provocar sérios transtornos na rede em menos de um mês.

O motorista Osmar Reis, de 49 anos, disse que chegou a ficar parado no túnel entre as Estações Anhangabaú e República. "Antes de parar no túnel, fiquei meia hora parado na estação dentro do trem com as portas abertas. Depois que saiu, parou. As luzes acenderam e apagaram. Tinha gente batendo nas peças da composição, revoltadas com a demora", descreve. De acordo com Reis, mesmo com o trem em movimento havia muita demora no deslocamento.

Não foi informado quantos usuários acabaram prejudicados. Pela Linha 3 circula 1,4 milhão de pessoas por dia útil. Já o trem danificado tem capacidade para levar até 1,8 mil passageiros. Segundo o Metrô, as causas da pane ainda serão apuradas. O Sindicato dos Metroviários reclama que as composições reformadas e os novos trens da frota CAF têm apresentado falhas. O Metrô nega.

Agentes de estação contaram que só na Estação Sé três mulheres, duas delas idosas, foram socorridas porque passaram mal com a superlotação. Vários passageiros reclamaram que perderam celulares e carteiras no meio da confusão. Na Delegacia do Metropolitano (Delpom), na Barra Funda, porém, investigadores negaram que ocorrências tivessem sido registradas por causa da pane de ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.