Falha faz CPTM fechar Linha 9 às 22h

Problema na subestação de energia da Cidade Dutra reduziu velocidade das composições; pane só deveria ser resolvida às 4h de hoje

ARTUR RODRIGUES , BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2012 | 03h03

Passageiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) enfrentaram, desde a noite de anteontem, maior intervalo entre os trens na Linha 9-Esmeralda. A causa foi um problema no abastecimento de energia. A pane, que começou às 22h de anteontem, deveria ser resolvida só as 4h de hoje - após um total de 30 horas. Para a resolução da falha, parte da linha acabou fechando mais cedo na noite de ontem.

O maior intervalo entre os trens lotou as estações da Linha 9 nos horários de pico. De acordo com a CPTM, a parada era de um minuto a mais do que o normal entre Jurubatuba e Pinheiros. Nas extremidades da linha, entre Grajaú e Pinheiros e entre Pinheiros e Osasco, o intervalo era de dois minutos.

O problema foi causado por uma falha na subestação de energia localizada na Cidade Dutra. Para realizar a manutenção, foi programado o fechamento de parte da linha a partir das 22h de ontem.

Com isso, os passageiros teriam de fazer o trajeto entre as Estações Jurubatuba e Grajaú de ônibus, conforme o Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência (Paese). De acordo com a São Paulo Transportes (SPTrans), seis veículos seriam utilizados.

Panes. Trata-se da 17.ª pane da CPTM no ano. Só na Linha-9 já aconteceram cinco casos. A última falha aconteceu no dia 30 de março. Na ocasião, uma composição apresentou problemas de tração e teve de ser removida, o que aumentou o tempo de intervalo na linha.

De acordo com o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, o número de panes em 2012 deve ser maior do que nos dois anos anteriores.

Em 2011, foram 42 casos e no ano anterior, outros 49. Mas, de acordo com o secretário, a situação ainda está sob controle e evoluindo.

Aumento. A CPTM ganhou mais 197 mil passageiros que usam os trens todos os dias em 2011. Um em cada dois novos passageiros foi para a Linha 9. Apenas essa linha ganhou mais 98 mil usuários por dia, em média.

O motivo do aumento na procura pela linha envolve a expansão do metrô paulistano. O ramal, que sai do Grajaú, na zona sul, e vai até Osasco, na Região Metropolitana, passando pela Marginal do Pinheiros, ainda não era integrado ao sistema metroviário em 2010. A partir da integração com a Linha 4-Amarela, o tempo de viagem até o centro teve redução e a linha acabou ficando mais atrativa para todos os usuários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.