Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Falha em escoramento pode ter causado desabamento de laje em SP

Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) foi contratado para elaborar a análise técnica do acidente

estadão.com.br,

13 de janeiro de 2012 | 18h35

SÃO PAULO - A empresa Ubiratan, responsável pela obra da Fábrica de Cultura da Brasilândia, zona norte de São Paulo, que desabou parcialmente na tarde desta quinta-feira, 12, informou no relatório preliminar que pode ter havido falha no processo de execução do escoramento da laje. O acidente matou o operário Nivaldo Rodrigues da Silva e deixou 11 feridos. A empreiteira forneceu toda a documentação do projeto de escoramento e se comprometeu a contratar uma empresa externa para determinar onde pode ter ocorrido o erro.

Segundo a Secretaria de Estado da Cultura, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) foi contratado para elaborar a análise técnica do desabamento da laje do prédio. Parte da estrutura cedeu por volta das 15h20 de ontem.

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-SP) já esteve no local nesta manhã e também acompanhará a elaboração do laudo final. A análise detalhada, que levará em conta o projeto de escoramento e sua execução e os materiais utilizados, irá apontar com precisão o que provocou o acidente.

No início da tarde, técnicos da Secretaria e do IPT vistoriaram a obra da Fábrica de Cultura da Brasilândia - com espaço para ateliês e espetáculos. Também será vistoriada a construção da unidade Cidade Tiradentes, na zona leste, de responsabilidade da mesma empresa. O objetivo é determinar se a obra está segura.

A construção da Fábrica de Cultura da Brasilândia teve início em outubro de 2009 pela Ubiratan, vencedora da licitação. No momento do acidente, era feita a concretagem da laje de cobertura do edifício destinado ao teatro da Fábrica. A inauguração da unidade da Brasilândia estava prevista para abril deste ano.

A secretaria disse que a família de Nivaldo Rodrigues da Silva recebe todo amparo e acompanhamento por parte da empresa responsável pela segurança da obra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.