''Falei para ele se entregar. Se fez alguma coisa, vai ter de pagar''

Acusado de assassinato de analista e modelo foi à casa do irmão na terça, um dia depois do crime. Estava ferido nas mãos

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2011 | 00h00

Lucas Rosseti, de 21 anos, acusado de matar o analista Eugênio Bozola, de 52 anos, e o modelo Murilo da Silva, de 21, em um prédio na Rua Oscar Freire, estava foragido até a noite de ontem: nem sua família sabe seu destino. O também modelo Alex Rosseti, de 20 anos, irmão de Lucas, encontrou-se com ele na terça, em Sertãozinho (SP). Lucas tinha a mão machucada - a polícia afirma que o autor do crime assassino está ferido -, mas não disse o que aconteceu.

Quando você falou com Lucas?

O Lucas veio para cá na terça-feira (o crime aconteceu na segunda-feira), no fim da noite. Colocou o Civic (que é de Bozola) na garagem e falou que era dele.

Como estava?

Não comentou nada sobre o que aconteceu. Estava com a mão machucada, com cortes a faca. Falou que foi mordido por um cachorro. Foi discreto, não parecia ressentido.

Como você soube que ele era suspeito de um crime?

Eu e minha mãe só descobrimos na quarta, quando vimos na TV (Lucas e Alex são filhos de mães diferentes e o primeiro mora em Igarapava). Mas, ainda cedo, ele pegou o carro e foi embora.

Falou com ele de novo?

Por telefone, na quarta à tarde. Ligou para perguntar a repercussão, mas não deu detalhes de nada. Eu disse para voltar, se entregar e explicar. Ele respondeu "Eu sei o que estou fazendo", desligou e sumiu.

Você acha que ele é culpado?

O caráter dele indica que ele não faria isso. Mas se aconteceu, deve ter tido um motivo. E se fez, deve pagar por isso.

O que o Lucas fazia?

Trabalhava com o pai em Igarapava, onde mora.

Você conhecia o Eugênio?

Nunca ouvi falar dele. E para mim foi uma surpresa que o Lucas possa ser homossexual.

Como você está se sentindo?

Aconteceu muita coisa. Hoje já prestei depoimento. Mas perdi meu emprego como monitor de informática por causa disso. E tem minha carreira, tinha conseguido contatos em agência e agora pode sujar meu nome.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.