Leonardo Soares/AE-7/1/2011
Leonardo Soares/AE-7/1/2011

Facebook, Orkut, Twitter... ache um parente ''perdido''

Sites de relacionamento facilitam a vida de quem quer organizar a árvore genealógica; procura chega a render livros e documentários

Edison Veiga, O Estado de S.Paulo

22 Fevereiro 2011 | 00h00

Nunca foi tão fácil descobrir parentes ao redor do mundo. Na era das redes sociais da internet, você pode estar a um clique daquele familiar distante - ou mesmo de um próximo cujo contato tenha perdido. Facebook, Orkut, Twitter... Todas as ferramentas são úteis na hora de montar sua árvore genealógica.

"Em geral, é mais fácil achar parentes se você tiver um sobrenome estranho", comenta a diretora de TV Maísa Zakzuk. "Porque sobrenome comum você logo acha 200 mil. Aí não adianta."

Em 2004, Maísa viu um relato de uma pessoa que, por meio do Google, começou a achar familiares ao redor do mundo. Achou superlegal e começou a pesquisar sobre o seu próprio Zakzuk. "Descobri que a família veio da Síria, parte para o Brasil e parte para a Colômbia. O grupo maior, de cerca de 500 pessoas, está na Colômbia. Aqui no Brasil somos apenas 25", explica.

Essa pesquisa toda deu origem a um livro. Em 2007, Maísa lançou, pela editora Panda Books, A Árvore da Família, para crianças. Mas a busca dela pelos Zakzuks não parou por aí. "Então veio o Facebook e as coisas ficaram mais fáceis", conta. "Fui descobrindo primos e primas. Até uma professora de artes que mora no Canadá." Agora, ela quer visitar os Zakzuks colombianos. Se tudo der certo, a saga vai virar um documentário.

Veja também:

link Pai separado acompanha filho de longe

link 'Pela web, entrei na lista telefônica da Croácia e encontrei um primo' 

A advogada Luciana Gerbovic Amiky também recorreu ao Facebook para descobrir os parentes da Croácia (veja depoimento ao lado). "A família é muito pequena. Toda vez que meu pai ia para lá, procurava pelo sobrenome na lista telefônica", recorda. "Anos depois, passou a trocar cartas com um Gerbovic." Agora, ansiosa, se prepara para conhecer a terra de seus antepassados - ainda não definiu data da viagem.

O músico Alfredo Zaine decidiu abrir uma comunidade dedicada à família. Foi em 2005, quando o Orkut vivia seu auge no Brasil. "Foi algo despretensioso. Mas, com o passar do tempo, percebi que começamos a juntar bastante gente." Hoje, a comunidade tem 65 membros, a maior parte do Estado de São Paulo. "A família Zaine veio para cá no fim do século 19. E se espalhou pelo Estado", conta o músico.

Ainda não ocorreu nenhum encontro oficial dos Zaines. Mas Alfredo deve muito em breve conhecer uma prima.

Sites de genealogia. Após descobrir os parentes perdidos, a dica é montar sua própria árvore genealógica. Alguns sites dão uma mãozinha: você coloca as informações e todos os familiares convidados podem editar seus perfis, adicionar novos parentes e outras facilidades. É a genealogia da era da internet.

Serviço

SITES EM QUE O INTERNAUTA PODE MONTAR SUA ÁRVORE GENEALÓGICA: WWW.FAMILIARIDADE.COM.BR, WWW.MYHERITAGE.COM.BR E WWW.GENI.COM

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.