Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

Fábrica do Samba fica para o carnaval de 2016

Prometido desde 2008, complexo que abrigará produção das escolas de SP será entregue em setembro deste ano

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

21 Janeiro 2015 | 03h00

SÃO PAULO - Ficou para o carnaval de 2016 o uso dos 14 galpões em construção desde 2012 na Fábrica do Samba, na Barra Funda, zona oeste da capital paulista. O novo prazo para a entrega do complexo de 64 mil m² é início de setembro. Segundo a Prefeitura, metade das estruturas já está em fase final de acabamento, mas, por opção da Liga das Escolas de Samba, a entrega do projeto será feita de uma só vez.

Os galpões serão ocupados individualmente pelas agremiações paulistanas do Grupo Especial. Cada um tem cerca de 4,5 mil m² de área construída, divididos em três andares e equipados com cozinha, sala de reunião, vestiário, banheiros e almoxarifado, além de espaços livres para confecção das fantasias e alegorias. O andar térreo, onde os carros deverão ser montados, tem pé-direito de 18 metros de altura, equivalente a um prédio de seis andares.

De acordo com o engenheiro Ricardo Rezende, da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras, o complexo, quando estiver pronto, ainda será formado por uma área verde de 31 mil m², estacionamento externo, lanchonete e prédio administrativo. Uma central de resíduos sólidos, para reciclagem dos materiais a serem descartados pelas escolas, e um minipiscinão, para retenção da água da chuva, completam o projeto. 

“Passarelas panorâmicas, com vista dos galpões, ainda permitirão visitas monitoradas para acompanhamento do trabalho das escolas. Isso vai depender da Liga, mas os espaços poderão ser abertos ao público”, explica Rezende. Toda a gestão do complexo, assim como a sua manutenção, deverão ser assumidas pelas escolas do Grupo Especial.

Grafite. Prometida desde 2008, mas iniciada quatro anos depois, a Fábrica do Samba terá acesso tanto pela Marginal do Tietê quanto pela Avenida Doutor Abraão Ribeiro, ao lado do Fórum da Barra Funda, na zona oeste da cidade. Toda a parte externa dos galpões deverá receber grafites. 

Para o trabalho, a Prefeitura pretende convocar os artistas selecionados para grafitar os muros da Avenida 23 de Maio. Eles terão a missão de colorir os imensos paredões claros que compõem o complexo, evitando assim a ação de pichadores - parte da estrutura já está comprometida.

Os temas do grafite deverão ser combinados com a Liga, que também terá de determinar como se dará a ocupação dos galpões - a expectativa é de que a divisão das escolas seja feita por meio de sorteio. No carnaval do ano passado, a gestão Fernando Haddad (PT) chegou a propor a entrega dos espaços de acordo com a colocação das agremiações no desfile. A ideia, entretanto, foi rechaçada pela maioria das escolas e acabou sendo descartada.

O carnaval deste ano será nos dias 13 e 14 de fevereiro no Sambódromo do Anhembi, que fica a apenas 1 km da Fábrica do Samba. Quando os galpões estiverem ocupados, não apenas a produção das escolas será facilitada, mas principalmente o transporte dos carros alegóricos até o sambódromo. 

Atualmente, parte das agremiações é obrigada a atravessar a cidade de madrugada por mais de 14 km para levar as alegorias ao Anhembi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.