FAB continua buscas por avião desaparecido no sul de Minas

Buscas se concentram na região porque os radares captaram sinais do avião na área

Reginaldo Pupo, Especial para o Estado,

30 Janeiro 2013 | 19h07

UBATUBA - A Força Aérea Brasileira (FAB) concentrou nessa quarta-feira no sul de Minas Gerais as buscas ao monomotor desaparecido desde a última segunda-feira, 28, quando decolou do aeroporto de Ubatuba, no litoral norte de São Paulo, com destino a Rio Claro, interior paulista. Na aeronave estavam os empresários Diego Perez, morador de Rio Claro, e Marcos Teixeira Barros, de Ubatuba.

As buscas estão sendo realizadas sobre uma densa mata fechada nas proximidades de Monte Verde, distrito de Camanducaia (MG), divisa com o estado de São Paulo. A região é serrana (semelhante a Campos do Jordão-SP) e a intensa neblina registrada interrompeu os trabalhos nas primeiras horas da manhã. À tarde, as buscas foram retomadas.

A FAB informou que as buscas estão centralizadas no sul de Minas Gerais, pois os radares captaram sinais do avião naquela região. Familiares dos ocupantes da aeronave conseguiram, por meio de ordem judicial, obter a quebra de sigilo telefônico para que a operadora pudesse rastrear os aparelhos. O último sinal teria sido detectado na noite do dia do desaparecimento no distrito de São Francisco Xavier, em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, região próxima a Camanducaia, onde também estão sendo feitas as buscas.

Na terça-feira, 29, um dia após o desaparecimento, a mãe de Barros, Wania Teixeira Barros, afirmou ter ligado para seu filho, mas o telefone tocou e ninguém atendeu. A FAB está utilizando um helicóptero que saiu do Rio de Janeiro para auxiliar nas buscas, e um avião SC-105, que saiu de Campo Grande (MS). Entre 20 a 25 militares estão sendo empregados na operação. Por terra, a FAB conta com auxílio de jipeiros, que já conhecem a região.

É o segundo desaparecimento de aeronaves em menos de um mês na região entre o litoral norte e o interior paulista. No dia 3 de janeiro, um helicóptero modelo Robinson 66, que havia saído de Arujá, na Grande São Paulo, com destino a Ilhabela, no litoral norte, desapareceu, sendo localizado 12 dias depois na Praia de Massaguaçu, em Caraguatatuba. O casal que ocupava o aparelho foi encontrado morto.

Mais conteúdo sobre:
Avião Ubatuba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.