F292 vira o jogo e surpreende

As dificuldades eram assustadoras: um quarteto desconhecido, tocando num horário que não era o programado, sem ter podido passar o som com antecedência. Intitulando-se "uma banda independente de Madureira, representando o Rio de Janeiro nessa parada", o F292 entrou no palco Sunset sem pensar em nada disso. Só queria atrair a atenção das pouco mais de 400 pessoas presentes (cerca de cem, todas dispersas, quando o grupo subiu ao palco).

ROBERTA PENNAFORT , RIO, O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2011 | 03h02

Conhecidos apenas na internet - têm 68 mil seguidores no Twitter -, os meninos foram espertos e fizeram dois covers: Firework, de Katy Perry, e In The End, do Linkin Park. "Vocês poderiam estar em qualquer outro lugar, mas estão aqui!", agradecia Rafah, o vocalista, que levou a banda ao Rock in Rio ao vencer o Prêmio Musique, realizado pelo Caderno2+Música, com uma canção que fez para a letra inédita Alguém, de Dinho Ouro Preto.

A princípio, os amigos que fazem música nos fundos de uma vila de número 292 tocariam de tarde, entre os shows das duplas Zeca Baleiro e Lokua Kanza e Arnaldo Antunes e Erasmo Carlos - o que lhes garantia, teoricamente, parte do público delas. Para lhes dar um pouco mais de tempo, o curador, Zé Ricardo, decidiu colocá-los no fim. Mas faltavam câmeras para filmá-los e a apresentação acabou sendo às 21h30, horário em que o gramado do Sunset vira um deserto.

Além dos covers, o grupo, que já abriu para o NX Zero num show para oito mil pessoas, ano passado, no Rio, apresentou Alguém, a parceria de Rafah e Dinho, e Decágono, do repertório mostrado nas constantes transmissões coletivas na internet.

Foram menos de vinte minutos no palco, comprimidos entre os shows de Frejat e Maná, no Palco Mundo, mas, para Rafah, valeu. "Foi muito melhor do que a gente imaginava. Com as trocas de horário, não sabíamos quem estaria disposto a sair da plateia do Mundo para vir ver a gente", contou, já no backstage, eletrizado. O diretor do espaço, Zé Ricardo, cumprimentou o vocalista após o show. "Você é muito carismático, me surpreendeu. Pode ir longe. Uma coisa é ouvir uma música, outra é ver ao vivo".

Zé Ricardo diz que atrasou a entrada do F292 para depois de Erasmo e Arnaldo para que os rapazes ganhassem mais tempo de apresentação. Um outro problema foi que o canal Multishow, que faria a transmissão, encerrou os trabalhos após o show de Erasmo e Arnaldo e se retirou do local. Zé Ricardo arrumou uma câmera às pressas e filmou a apresentação. "Começo de carreira é assim mesmo, às vezes você toca pra ninguém", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.